Quem compra um LaFerrari fá-lo porque pode, mas também porque venera superdesportivos agressivos e emocionantes, com potências que fazem o coração bater mais depressa (3 segundos de 0 a 100 km/h) e capazes de curvar a velocidades que fazem parar… o coração.

A Ferrari investiu fortunas para tornar a aerodinâmica mais apurada, para extrair uns quilómetros a mais na velocidade máxima (350 km/h), pelo que a ideia do fabricante transalpino nunca foi conceber soluções para transportar muita bagagem. É claro que o apaixonante veículo disponibiliza uma bagageira minimalista, onde cabe qualquer coisa, contanto que não passe de um pente, pasta e a escova de dentes, e pouco mais. Férias prolongadas e acessórios volumosos? O melhor mesmo é usar o “outro” carro, pois quem tem um LaFerrari não se fica por aqui.

Vem isto a propósito deste LaFerrari apanhado em Nova Jersey, à porta de uma loja de equipamento desportivo, com cinco rodas. Isto porque o dono decidiu que não havia qualquer motivo para não ir buscar a sua bicla nova de Ferrari. Umas aplicações com ventosa conseguem manter o garfo e a roda traseira literalmente colados ao carro, desde que o condutor não se esqueça que tem a bicicleta no tejadilho e decida divertir-se com os 963 cv do modelo. Ficamos apenas com uma dúvida: onde é que ele conseguiu meter a roda da frente?