A SIC vai suspender o próximo episódio de SuperNanny, que seria emitido este domingo, avança o jornal Expresso.

A decisão vem na sequência do pedido “urgente” do Ministério Público para a retirada de todos os conteúdos já publicados do programa e para a suspensão do próximo episódio.

De acordo com o jornal, a juíza Cláudia Alves, do Tribunal de Lisboa Oeste, assinou esta sexta-feira um despacho judicial onde permite que a estação continue a emitir o polémico programa. Mas com condições: para que o terceiro episódio de SuperNanny possa ir para o ar, a SIC tem de utilizar “filtros de imagem e de voz, quer dos menores, quer dos seus progenitores, quer de quaisquer outras pessoas que intervenham ou participem no programa e que, por vínculo familiar ou com os menores, permitam identificá-los”.

Foi por acreditar que as imposições impossibilitam a emissão do programa que a estação televisiva decidiu suspendê-lo, disse ao Expresso fonte da SIC: “As alterações que o tribunal impõe ao formato inviabilizam a sua transmissão”.

No caso de não acatar a decisão judicial, a SIC incorreria numa multa de 15 mil euros por cada dia de incumprimento.

Em comunicado entretanto enviado às redações, a estação garantiu que não vai acontecer: “A SIC irá acatar esta decisão, que lamenta”. Aproveitou também para pedir desculpas aos telespectadores de SuperNanny, “que reconhecem a sua importância enquanto formato pedagógico e educativo”.

“O programa, que é exibido em países como o Reino Unido ou a Suécia, em canais como a Channel 4 ou a TF1, teve sempre o objetivo de auxiliar pais e educadores a melhorarem a relação com os seus filhos, ajudando a estabelecer regras e limites, criando assim uma dinâmica familiar mais saudável”, continua o texto.