Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O transporte urbano não poluente é um dos maiores objectivos das grandes cidades, especialmente aquelas a braços com níveis de poluição exagerados. A quantidade de produtos movimentados diariamente é cada vez maior, o que leva a que, todos os dias, mais veículos comerciais percorram as artérias urbanas, emitindo grandes quantidades de CO2 e de partículas, específicas das motorizações diesel. A única forma de diminuir os riscos é substituir os furgões poluentes por outros 100% eléctricos.

Neste sentido, a Volkswagen iniciou as entregas do seu veículo comercial de maiores dimensões, a Crafter, mas numa versão eléctrica alimentada por baterias, em vez dos tradicionais motores turbodiesel. Denominado e-Crafter, o furgão está equipado com um motor de 136 cv, que por sua vez é alimentado por uma bateria com uma capacidade de 35,8 kWh, ambos herdados do e-Golf, sendo o acumulador capaz de ser recarregado até 80% em 45 minutos.

A e-Crafter pode transportar entre 1 e 1,75 toneladas, dependendo da versão, disponibilizando um volume de carga útil de 10,7 m3, uma vez que os acumuladores não roubam espaço interior, dado estarem integrados na plataforma. A velocidade máxima está limitada a 90 km/h, enquanto a autonomia anunciada está fixada nos 160 km, valor que poderá subir facilmente, pois espaço não falta no furgão para incluir um segundo pack de baterias do e-Golf e, assim, duplicar a autonomia.

As primeiras unidades do furgão eléctrico foram destinadas aos principais clientes na Alemanha, Inglaterra, Holanda e Suécia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR