Animais a bordo, mulheres a dar à luz ou até discussões entre casais: existem milhares de histórias inacreditáveis sobre aterragens de emergência. Mas esta é uma história diferente. O voo Dubai-Amesterdão da Transavia Airlines foi forçado a aterrar devido à flatulência de um passageiro. Ou, pelo menos, devido aos desacatos que essa flatulência provocou.

Durante o voo, dois holandeses pediram insistentemente a um outro passageiro que parasse de “soltar gases”. O homem, cuja nacionalidade não é conhecida, recusou. Decidiram então recorrer à tripulação, que, segundo conta a Fox News, nada conseguiu fazer. Os dois passageiros partiram então para a violência, começando uma rixa que só ia acabar com o avião já em terra.

Apesar de um aviso do piloto, os três homens continuaram a agredir-se e o avião acabou por aterrar de emergência no aeroporto de Viena. Já com o aparelho da Transavia Airlines no chão, a polícia austríaca deteve dois homens e duas mulheres que o piloto descreveu como “passageiros em fúria.”

As mulheres, duas irmãs, garantem que vão avançar com uma ação legal contra a companhia aérea, já que garantem que não estavam envolvidas nos desacatos. “Não fazíamos ideia de quem eram estes homens, só tivemos a má sorte de estar sentadas na mesma fila que eles e não fizemos nada”, contou Nora Lacchab, acrescentando que ser expulsa do avião foi “humilhante.”

Os quatro passageiros foram libertados sem qualquer acusação. Ainda assim, foram banidos da Transavia Airlines.