A atriz mexicana Karla Souza, conhecida pela interpretação que faz na série “Como defender um assassino”, revelou numa entrevista à CNN que foi vítima de violação no início da sua carreira, no México. As agressões terão ocorrido durante as gravações de uma série televisão, mas a atriz de 32 anos nunca revelou a identidade do alegado agressor.

“Depois de ter havido um abuso total de poder, acabei por ceder, de alguma forma, a que me beijasse e me tocasse de formas que não queria. E numa das ocasiões agrediu-me violentamente. E sim, violou-me”, afirmou.

Horas depois, a cadeia televisiva Televisa identificou o potencial agressor como Gustavo Loza, que já realizou e produziu uma série de produções mexicanas, e anunciou que pôs um fim aos contratos de trabalho que tinha em vigor com ele, porque não pode tolerar que uma conduta destas aconteça na sua casa. O realizador trabalhou em duas ocasiões com a atriz, conta o El Mundo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No Twitter, o realizador negou qualquer envolvimento com as denúncias de Karla Souza. “Distancio-me de qualquer acusação que me é feita pela Telavisa. Fui acusado sem fundamento da alegada violação denunciada por Karla Souza, que lamento profundamente e condeno abertamente”, afirmou.