A morte do internacional italiano Davide Astori, em circunstâncias ainda por explicar, está a gerar uma onde de consternação no mundo do futebol, com as mais altas instâncias e grandes figuras da modalidade a lamentarem o sucedido.

O guarda-redes Gianluigi Buffon, ‘capitão’ da Juventus, deixou uma das mensagens mais emotivas, elogiando “o altruísmo, a elegância e a educação” de Astori, com quem partilhou o balneário da seleção transalpina, entre 2011 e 2017.

“A tua filha merece saber que o pai era uma pessoa boa, uma grande pessoa. Eras a melhor expressão de um mundo passado, que valorizava a elegância, a educação e o respeito pelo próximo”, escreveu Bufffon, acrescentando: “Foste um dos melhores representantes do futebol que conheci”.

Astori deixa filha de dois anos, Vittoria, e deixa o futebol, “que tanto amava”

A FIFA lamentou no Twitter a partida prematura do ‘capitão’ da Fiorentina, encontrado morto num hotel no qual a equipa estava concentrada para o jogo com a Udinese, com a frase: “Os nossos pensamentos estão com a família e amigos de Davide Astori, que morreu aos 31 anos de idade”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Também a UEFA, usou a rede social Twitter para reagir à notícia, que já levou a Liga italiana a adiara todos os encontros previstos para hoje da 27.ª jornada do principal campeonato transalpino.

“As nossas mais sinceras condolências à família e amigos do ‘capitão’ da Fiorentina e internacional italiano Davide Astori”, lê-se no Twitter do organismo máximo do futebol europeu.

A Federação Internacional de Futebolistas Profissionais (FIFPro) já se associou à onde de consternação, enviando “os mais sentidos pêsames” à família do jogador.

Morreu Davide Astori, capitão da Fiorentina. Foi encontrado morto no quarto de hotel

Davide Astori, nascido em San Giovanni Bianco, na província de Bérgamo, há 31 anos, atuava na Fiorentina desde 2015/2016, depois de passagens pelo AC Milan, clube em que se formou, Pergolettese, Cremonese, Cagliari e Roma.

O ‘capitão’ da Fiorentina representou por 14 vezes a ‘squadra azzurra’, tendo marcado um golo, ao Uruguai (3-2 nos penáltis, após 2-2 nos 120 minutos), no jogo de atribuição do terceiro lugar da Taça das Confederações de 2013, no Brasil.