PS

PS assinala aniversário com homenagem a 45 figuras da sua história

O PS inicia a partir de segunda-feira as comemorações do 45.º aniversário, com um programa em que assinala a ação de 45 figuras da sua história, começando com o fundador, Mário Soares.

As mensagens sobre os 45 rostos e 45 marcas da história do PS serão divulgadas por este partido nas diferentes redes sociais

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O PS inicia a partir de segunda-feira as comemorações do seu 45.º aniversário, com um programa em que assinala a ação de 45 figuras da sua história, começando com o fundador e primeiro secretário-geral, Mário Soares.

Após Mário Soares, na evocação dos 45 rostos do PS, seguem-se os fundadores Maria de Jesus Barroso e Salgado Zenha, o primeiro presidente da Assembleia da República, Vasco da Gama Fernandes, e o presidente da Assembleia Constituinte, Henrique de Barros.

Segundo uma nota da direção dos socialistas, ao longo dos próximos 45 dias, o PS assinala também 45 marcas que considera ter deixado no percurso democrático do país desde que foi fundado em 19 de abril de 1973, na cidade alemã de Bad Munstereifel.

Como primeira das 45 marcas a assinalar, o PS escolheu a aprovação da Constituição da República em abril de 1976 – um ano após ter vencido as primeiras eleições realizadas depois da revolução de 25 de Abril de 1974.

Além da aprovação da Constituição da República, o PS pretende também destacar os momentos da criação do Serviço Nacional de Saúde, a revisão da Concordata em 1975 (que permitiu o divórcio em Portugal), o fim da unicidade sindical em 1977 e, nesse mesmo ano, o pedido de adesão de Portugal à então CEE (Comunidade Económica Europeia) feito pelo antigo primeiro-ministro Mário Soares.

As mensagens sobre os 45 rostos e 45 marcas da história do PS serão divulgadas por este partido nas diferentes redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter).

Ainda de acordo com a nota divulgada pela direção dos socialistas, no dia do aniversário do PS, em 19 de abril, vai realizar-se em Lisboa um jantar-comício com a presença do secretário-geral, António Costa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Operação Marquês

Porque é que só há uma Ana Gomes?

Rui Ramos
1.372

A sociedade portuguesa gera rotação no poder quando o dinheiro acaba, como vimos em 2002 ou em 2011. Mas já não gera alternativas, como constatámos em 2015 com o regresso dos colegas de Sócrates.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site