Bifes Trump, desodorizante Trump, sapatos Trump, gravatas Trump e até um teste de urina Trump. Tempos houve em que o nome do atual presidente norte-americano era marca presente nos mais diversos artigos de merchandising, mas desde que o milionário do imobiliário e estrela de televisão passou a político com assento na Casa Branca que as conquistas da sua marca se perderam.

De acordo com o The Washington Post, há 17 empresas que produziam ou distribuíam produtos da marca Trump que pararam de o fazer quando o republicano entrou em campanha para as eleições legislativas de novembro de 2016. Apenas duas continuaram a produzir, mas isso não impediu que os negócios da família, agora liderados por dois filhos de Trump, sofressem com a exposição política do republicano.

Entre os produtos vendidos sob a marca Trump, a escolha dos bifes servia para representar o poder de Trump, o aftershave Success representava a “a combinação masculina” que criava “uma presença poderosa durante o seu uso”. Quando Donald Trump entrou na corrida para a Casa Branca, em 2015, a sua marca detinha 19 licenças que pagavam cerca de 2,4 milhões de dólares por ano. A Trump Organisation não respondeu às tentativas de contacto do jornal.