A Venezuela e a Cuba estão a preparar novos acordos em matéria energética, agrícola, mineira e turística, anunciou na quarta-feira o Presidente venezuelano, no final de um encontro com o homólogo cubano, Miguel Díaz Canel.

“Passámos em revista toda a cooperação Cuba-Venezuela, no quadro da Aliança Bolivariana para os Povos da América (ALBA) e de toda a cooperação da Petrocaraíbas”, disse Nicolas Maduro, no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, onde decorreu o encontro com Miguel Díaz Canel, que realiza a primeira visita à Venezuela.

O Presidente venezuelano afirmou que vão ser renovadas “todas as missões em que Cuba e a Venezuela atuam, desde o acordo energético, ao acordo integral Martí Bolívar”, assinado por Caracas e Havana no ano de 2000.

Os dois chefes de Estado estabeleceram duas linhas de trabalho, a primeira delas para melhorar os programas assistenciais do Governo venezuelano na área da saúde e do desporto, e relançar a “missão milagre”, de tratamentos oftalmológicos. Por outro lado, foi definida a consolidação e melhoria das áreas energética, económica, comercial e turística. A segunda linha de trabalho está relacionada com projetos industriais, agrícolas, mineiros e turísticos”, disse.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante o encontro, Maduro condecorou Díaz Candel com a Ordem Libertadores de primeira classe. No final da cerimónia, os dois responsáveis deslocaram-se ao quartel da Montanha, onde se encontra a sepultura do antigo Presidente venezuelano Hugo Chávez (1999- 2013).

Antes, durante uma sessão da Assembleia Constituinte, o Presidente cubano referiu à vitória de Nicolás Maduro nas eleições presidenciais antecipadas de 20 de maio. Por outro lado, Miguel Díaz Candel condenou as “agressões golpistas” contra a Venezuela e sublinhou que o Governo cubano apoiará sempre o regime venezuelano.