Rádio Observador

Relações Internacionais

Costa fala de “excelente momento” para estreitar relações entre Portugal e Roménia

António Costa considera ser um "excelente momento" para estreitar relações entre Portugal e Roménia, sublinhando a importância da presidência romena da UE ser "coroada de um grande sucesso".

NUNO FOX/EPA

O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta quarta-feira ser um “excelente momento” para estreitar relações entre Portugal e Roménia, sublinhando a importância da presidência romena da União Europeia, entre janeiro e junho de 2019, ser “coroada de um grande sucesso”. António Costa recebeu esta quarta-feira, no Palácio Foz, em Lisboa, a primeira-ministra da Roménia, Vasilica-Viorica Dancila, tendo aproveitado para homenagear a comunidade romena em Portugal, que “é hoje a quarta comunidade estrangeira mais importante a residir” no país.

“Este é um excelente momento para podermos estreitar as nossas relações, quer do ponto de vista bilateral, quer no âmbito da União Europeia, onde habitualmente partilhamos a mesma visão de uma Europa que assegure a paz, que fomente a prosperidade e que reforce a coesão entre os diferentes países da União Europeia”, defendeu.

Tendo os dois homólogos assinado três acordos de cooperação nas áreas da medicina e da ciência, o primeiro-ministro recordou que as relações entre os dois países “têm uma longa história” e ainda no ano passado celebraram 100 anos, sendo Portugal e a Roménia cada vez mais parceiros mais sólidos. António Costa afirmou que a Roménia “se prepara para assumir, dentro de poucos meses, a presidência da União Europeia”, o que acontecerá entre janeiro e junho de 2019, considerando “muito importante que esta presidência romena seja coroada de um grande sucesso”.

Esta presidência, concretizou o chefe do Governo português, “vai ocorrer num momento muito desafiante” para a União Europeia, com a conclusão das negociações com o Reino Unido para o ‘Brexit’, o orçamento europeu plurianual, a consolidação da reforma da Zona Euro e as questões migratórias.

“É uma presidência que se vai desenvolver já no quadro da próxima presidência portuguesa, que terá lugar em 2021 e em que teremos que apresentar ainda à presidência romena o programa tripartido entre a Alemanha, Portugal e a Eslovénia para dar sequência ao próximo trio de presidências”, sublinhou ainda. Segundo António Costa, a história entre Portugal e a Roménia “tem permitido desenvolver as relações bilaterais do ponto de vista económico e do ponto de vista cultural”.

“E a assinatura hoje, destes acordos que aqui assistimos, entre instituições cientificas portuguesas e romenas e da cooperação no domínio da saúde entre Portugal e a Roménia são uma marca simbólica da vontade que temos de continuar a desenvolver e a estreitar estas relações, que do ponto de vista humano se estreitam diariamente com o contributo que muitos romenos dão para o desenvolvimento do nosso país, aqui vivendo, trabalhando, estudando”, observou.

Entre os três acordos de cooperação assinados, um foi no âmbito da política de saúde e da medicina, entre os ministérios da saúde de ambos os países, cooperando Portugal e a Roménia em matérias como os recursos humanos, a troca de boas práticas na política do medicamento, os planos de emergência e e-health. Outro dos acordos firmados foi de cooperação entre a Universidade de Lisboa e a Universidade de Medicina e Farmácia de Tirgu Mures.

Um terceiro memorando de entendimento foi ainda assinado entre o Instituto Superior Técnico e o Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento para a Física e Engenharia Nuclear “Horia Hulubei” da Roménia referente à implementação do projeto infraestrutura de Luz Extrema – Física Nuclear, uma iniciativa europeia que visa criar o laser mais potente do mundo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)