Um tribunal sueco condenou o uzbeque Rakhmat Akilov a uma pena de prisão perpétua esta quinta-feira. Em causa está o ataque levado a cabo por Akilov em abril de 2017, quando o usbeque roubou um camião e atropelou depois várias pessoas, matando cinco e ferindo outras 10.

“O arguido foi considerado culpado de um crime de homicídio terrorista em cinco casos”, declarou o Tribunal de Estocolmo em comunicado, citado pela Reuters. “A pena ficou estabelecida em prisão perpétua.”

Akilov foi assim condenado pela morte de cinco pessoas, entre elas uma rapariga sueca de 11 anos e dois estrangeiros (um homem britânico e uma mulher belga). Durante o julgamento, o procurador Hans Ihrman disse que só a prisão perpétua poderia ser equacionada, segundo conta o site de notícias suecas em inglês The Local.

O julgamento durou quase três meses e contou com mais de 100 testemunhas, incluindo sobreviventes do atentado. Akilov declarou-se culpado em tribunal, admitindo que o objetivo do ataque era o de forçar a Suécia a abandonar a coligação internacional que combate o Estado Islâmico.

Segundo a Radio Free Europe, Akilov é um construtor civil do Uzbequistão que se candidatou a asilo na Suécia, mas teve o seu pedido rejeitado em 2016. A mesma rádio diz que o usbeque declarou lealdade ao Estado Islâmico na noite anterior ao ataque, mas este nunca foi reivindicado pela organização terrorista.

As penas de prisão perpétua na Suécia têm um duração média de 16 anos, segundo conta o The Local. A pena mais longa já cumprida no país foi de 34 anos. Por essa mesma razão, o procurador pediu também a expulsão do usbeque da Suécia caso Akilov venha a ser libertado entretanto.