O antigo primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif foi condenado esta sexta-feira a dez anos de prisão por um tribiunal anti-corrupção, anunciou o seu advogado de defesa.

Sharif, que esteve ausente, “foi condenado a dez anos de prisão e a uma multa” num processo relativo à compra de apartamentos de luxo em Londres, declarou Mohammad Aurangzeb à agência noticiosa AFP. Segundo o promotor de Sardar, Muzaffar Abbas, o tribunal também ordenou a apreensão dos apartamentos em questão pelo governo federal. Segundo o procurador Sardar Muzaffar Abbas, o tribunal ordenou também a apreensão dos apartamentos em causa. Sharif está atualmente em Londres junto da sua mulher, que tem cancro.

Em julho de 2017, o Supremo Tribunal paquistanês pôs fim prematuro ao terceiro mandato de Nawaz Sharif como chefe de governo, após ser conhecido que a sua família detinha vários apartamentos luxuosos através de empresas ‘offshore’. A justiça paquistanesa proibiu Sharif de liderar o seu partido, o PML-N, e de participar em quaisquer eleições. A família nega quaisquer irregularidades.

O partido é atualmente liderado pelo seu irmão, Shahbaz Sharif, um dos principais candidatos nas eleições legislativas de 25 de julho no país.