O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira que o “saldo da sessão legislativa” indica que, com mais ou menos negociações, haverá Orçamento do Estado aprovado pela “base de apoio parlamentar maioritário” do Governo.

“Neste momento, olhando para o saldo da sessão legislativa, tudo indica que, com mais negociações, com menos negociações, vai acontecer aquilo que considero bom para o país: que é que não haja nenhuma crise a propósito do Orçamento, que entremos no ano que vem com o OE aprovado, que haja eleições europeias, depois eleições legislativas”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa. Questionado sobre se a aprovação do documento passa pela esquerda, o Chefe de Estado respondeu afirmativamente: “Penso que é na base do apoio parlamentar maioritário que o Governo tem, penso que sim”.

O Presidente falava aos jornalistas na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, após a entrega dos Prémios Gulbenkian, a propósito das audiências que terá com os partidos com assento parlamentar, na próxima semana.

“Eu estou a dizer qual é a visão que tenho, mas naturalmente vou ouvir os partidos políticos, não apenas sobre isso, sobre o mundo, sobre a Europa, sobre as perspetivas do ano eleitoral próximo, sobre a situação económica, social e política. Há muitos temas. Eu recebi-os entre fevereiro e março, portanto, muito se passou desde então até agora”, declarou.

O Presidente, que considera que “há condições para o Orçamento ser pacificamente votado”, assinalou que duas vezes por semestre recebe os partidos e que houve “um adiamento, devido ao programa internacional e aos trabalhos do parlamento”, das audiências previstas para junho.