A Taxify vai lançar esta semana um serviço de scooters elétricas partilhadas em Paris, que pretende expandir a mais cidades nos próximos meses. Os novos veículos vão estar integrados na marca Bolt, criada precisamente para o efeito. Em comunicado, o presidente e cofundador da empresa, Markus Villig, explica que “uma em cada cinco viagens da Taxify tem menos de 3 quilómetris, a distância perfeita para ser percorrida com uma scooter elétrica”.

Este novo serviço vai custar 15 cêntimos por minuto, com uma tarifa mínima de um euro por dia. (ou seja, uma viagem média de 10 minutos custaria ao utilizador 2,50 euros). As novas scooters vão ter dispositivos de GPS integrados para fornecer dados sobre locais de recolha e entrega.

Para desbloquear uma scooter, o utilizador terá que passar um código QR no próprio veículo. Na chegada ao destino, os passageiros podem simplesmente estacionar a scooter na rua, sendo que estas serão recolhidas todas as noites pela Taxify para recarga e manutenção.

Para o presidente executivo da plataforma de transportes, esta alternativa pode ajudar “a atrair um grupo totalmente novo de utilizadores e a resolver as lacunas dos transportes para mais pessoas”. No comunicado, Markus Villig diz ainda que a app da Taxify é utilizada por mais de 15 milhões de pessoas em todo o mundo, justificando o sucesso com “o foco na adaptação de alternativas de mobilidade às diferentes localizações”. “Para resolver os problemas das pessoas, precisamos de trabalhar ao nível da cidade no geral ou até mesmo do próprio bairro”, acrescentou. A Taxify chegou a Portugal no início de 2018 e está disponível em Lisboa e no Porto.