Carlos César, o presidente do PS e líder parlamentar, acusou o ex-Presidente da República de ter “uma infeliz falta de sentido de Estado” dadas as revelações que fez sobre alguns políticos no mais recente volume da biografia “Quinta-feira e outros dias”, durante o seu habitual espaço comentário à SIC. “Zurziu no caráter e personalidade de pessoas com quem privou [em Belem]”, afirmou Carlos César indignado, dando exemplos das classificações que Cavaco atribuiu a vários políticos, entre as quais: “irresponsável”, “trivial”, “infeliz”, “medroso”, entre outras.

A crítica do presidente do PS a Cavaco Silva, estendeu-se ainda à forma “tragico-cómica e quase displiciente como se referiu aos acordos PS-PCP-BE como sendo de grande fragilidade e indignidade” condenando “o mau princípio de delação de assuntos que deviam estar na área do Estado e da reserva” e de “colecionar factos para alimentar projetos editoriais”.

A valentia que exibiu neste livro contrasta com a pouca valentia com que exerce a autocrítica“, criticou, referindo que esta atitude é reprovável por ser “devassa“. “Nunca se esperaria. É perfeitamente lamentável“, concluiu.

César guardou espaço para elogiar Marcelo Rebelo de Sousa, defendendo que este nunca comentaria conversas tidas enquanto Chefe de Estado.