O Ministério do Desenvolvimento espanhol, através da Agência de Segurança Aérea Estatal, está a ponderar a aplicação de sanções contra o passageiro de um voo da Ryanair que recusou sentar-se ao lado de uma mulher negra. De acordo com o El País, as autoridades espanholas estão a liderar a investigação, que também inclui a polícia britânica, e o indivíduo já foi identificado. Já a autarquia de Barcelona anunciou que vai formalmente denunciar o caso ao Ministério Público espanhol.

O vídeo divulgado este sábado no Facebook e no YouTube mostra um passageiro de um voo da Ryanair entre Barcelona e Londres a recusar que uma idosa negra se sente ao seu lado. No vídeo, é possível ver e ouvir o homem, britânico, a gritar para a idosa: “Não quero sentar-me ao pé da tua cara feia”. Depois de a mulher o interpelar, o homem atirou: “Não me fales numa língua estrangeira, sua vaca feia e estúpida”.

Os insultos continuaram durante pelo menos três minutos, o tempo do vídeo, e vários passageiros intervieram para pedir à tripulação do voo que expulsasse o homem da aeronave. Porém, apenas um assistente de bordo se aproximou do passageiro para o tentar acalmar e acabou por mudar a mulher de sítio para acabar com a discussão.

Segundo explicou a filha da mulher em causa ao The Huffington Post, citada pela BBC, a discussão começou porque a mulher, de 77 anos, tem artrite e demorou muito tempo a desviar-se para que o homem se pudesse sentar no seu lugar. O passageiro que filmou o vídeo, David Lawrence, explicou à BBC que “tudo estava calmo” durante o embarque até um homem entrar no avião e começar a falar de forma agressiva para a mulher que estava sentada no lugar junto ao corredor.

[Veja em baixo como vídeos ajudaram a punir casos de racismo]

Nas redes sociais, multiplicaram-se as críticas à Ryanair por a companhia aérea não ter feito nada para penalizar o homem. O deputado britânico trabalhista Karl Turner disse que irá levar ao Parlamento do Reino Unido a discussão sobre a forma como as companhias aéreas ignoram estas situações.

À BBC, a Ryanair afirmou que não vai “tolerar comportamentos indisciplinados como este” e que irá levar o assunto mais a sério no futuro. “Comportamentos abusivos ou disruptivos como este irão resultar no impedimento dos passageiros de viajar”, afirmou a companhia aérea.

“Não quero sentar-me ao pé da tua cara feia”. Racismo em voo da Ryanair leva a investigação policial