Ministério Administração Interna

MAI diz que só a segurança de Portugal permite realização de grandes eventos

169

O ministro da Administração Interna afirmou esta terça-feira que Portugal é um país seguro e que é essa segurança que permite a realização de eventos como a Web Summit e o Festival da Eurovisão.

RODRIGO ANTUNES/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou esta terça-feira que Portugal é um país seguro e que é essa segurança que permite a realização de eventos como a Web Summit e o Festival da Eurovisão.

“Ainda ontem [segunda-feira] estive numa reunião internacional em que a referência que é feita a Portugal é a de um país com uma imagem de uma notável segurança. Só isso permitiria o sucesso do nosso turismo e de iniciativas tão diversas como o Festival da Eurovisão, a Web Summit ou grandes festivais”, afirmou o governante.

Eduardo Cabrita falava ao final desta tarde aos jornalistas na sede do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, no concelho de Loures, durante a entrega de 48 viaturas a esta força de segurança.

Estas viaturas foram as primeiras entregues no âmbito do concurso público que prevê a atribuição, até 2021, de mais de 2.000 carros para as forças e serviços de segurança.

Apesar destes veículos (automóveis e motociclos) irem reforçar esquadras de todo o país, o ministro da Administração Interna explicou que estas se destinam, “maioritariamente, ao Comando Metropolitano de Lisboa, uma vez que tem uma área com uma dimensão populacional muito significativa”.

Eduardo Cabrita acrescentou que estas viaturas vão ajudar ao reforço de várias áreas de atuação da PSP, nomeadamente trânsito, patrulhamento e investigação criminal.

A atribuição destas viaturas insere-se no âmbito da Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos das Forças e Serviços de Segurança e envolve um investimento total de cerca de 50 milhões de euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

A mudança (que se impõe) na Europa

Rodrigo Saraiva

Ao invés do que supus, Macron tem desperdiçado as oportunidades para ser um agente da mudança. Aquilo que era um aparente europeísmo tem vindo a mostrar-se um eurocentrismo com toques de egocentrismo.

China

Vamos mesmo ignorar isto? /premium

Sebastião Bugalho

A Europa assumiu pela primeira vez que o expansionismo da China representa uma ameaça para o continente e os jornais portugueses, que tão competentemente cobriram a visita de Xi, não fazem perguntas?

Governo

Quem quer casar com um governante?

Luís Reis

Se Soares foi Presidente-Rei, Costa revelou-se Primeiro-Ministro-Rei chamando o seu reduto doméstico a participar no governo dos súbditos, um nepotismo rosa instalado e a preparar a sucessão dinástica

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)