A venda de carros elétricos em Portugal registou este ano um crescimento “exponencial”, disse esta quarta-feira o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Gomes Mendes. Segundo o governante, “por cada 100 carros vendidos, mais de cinco já são elétricos”, “um crescimento que começa a ser exponencial”.

“Já se venderam, até setembro, bem mais veículos elétricos este ano do que em todo o ano passado”, disse esta quarta-feira José Gomes Mendes, na Guarda, na sessão de abertura da conferência “Mobilidade Urbana Sustentável”, promovida pela Câmara local.

Em declarações à agência Lusa, no final da intervenção, o secretário de Estado assumiu que os números das vendas de veículos elétricos “são muito satisfatórios”. “A taxa de penetração dos veículos elétricos e híbridos plug-in, quando comparada com o total de veículos vendidos, até setembro deste ano, já vai em 5,4%, portanto, está mais do que a duplicar a cada ano. É exponencial, o crescimento”.

Para o responsável, o cenário “significa que o português comum já percebe que há vantagens em utilizar veículos de emissões zero, portanto, descarbonizados”, o que considera “boas notícias para a mobilidade em Portugal”. “Nós [Governo] temos uma meta de, em 2040, todos os novos veículos vendidos em Portugal serem veículos de zero emissões ou [de] muito baixas emissões. Com o andamento da adesão das pessoas à mobilidade descarbonizada, eu acredito que este objetivo vai ser conseguido bem antes de 2040”, adiantou.

José Gomes Mendes lembrou que já existem incentivos para a aquisição de veículos elétricos que vão ser mantidos e “até aumentados” no próximo Orçamento do Estado, sendo que em 2019 será introduzido “pela primeira vez, um incentivo à aquisição de bicicletas elétricas”.

O Governo também está a investir na rede nacional de carregadores rápidos e semi-rápidos, disse. A Câmara Municipal da Guarda organiza esta quarta-feira uma conferência sobre “Mobilidade Urbana Sustentável”, no âmbito do projeto “Conferências da Guarda”, que inclui a apresentação do “Projeto Pedovia/Ciclovia da Cidade da Guarda”.

“É algo muito reformista, creio que muito importante numa cidade que não é propriamente muito plana, como todos nós bem sabemos, mas importa atuarmos no sentido de facilitar essa mobilidade e fazê-lo do modo sustentável”, disse o presidente da autarquia Álvaro Amaro (PSD).

Durante os trabalhos foram abordadas temáticas como “Dos territórios sociais da mobilidade ao desenho dos modos suaves” e “Uma análise prospetiva sobre a reorganização do trânsito e estacionamento na cidade da Guarda e do Plano Rodoviário Municipal 2040”.