A ministra da Saúde, Marta Temido, terá pedido desculpa aos enfermeiros depois de um telefonema à bastonária Ana Rita Cavaco, segundo comunicado da Ordem dos Enfermeiros. O gabinete da ministra confirmou ao Observador que foi feito um telefonema para esclarecer as declarações e para falar sobre a relação com os enfermeiros. Em causa está a entrevista de Marta Temido ao Diário de Notícias e TSF em que afirma que negociar com os grevistas é privilegiar o criminoso.

“Isso nem sequer seria correto para com as estruturas que decidiram dar-nos o benefício de continuar à mesa e a negociar connosco. Isso estaria a privilegiar, digo eu, o criminoso, o infrator”, disse a ministra da Saúde sobre a possibilidade de negociar com os enfermeiros em greve.

Num telefonema realizado esta segunda-feira, a ministra da Saúde terá pedido à bastonária da Ordem dos Enfermeiros que aceitasse o pedido de desculpas e o transmitisse a todos os enfermeiros, porque não tinha intenção de ofender estes profissionais de saúde. Sem comentar “o teor de conversas institucionais”, fonte do Ministério da Saúde sublinhou, ao Observador, o “empenho em estabelecer pontes com todos os profissionais do setor”.

Greve dos enfermeiros. Planeada de forma cirúrgica para ser tremendamente eficaz

Na conversa com Ana Rita Cavaco, Marta Temido terá reforçado o interesse em dialogar e chegar a acordo com os enfermeiros. O mesmo já tinha afirmado durante a entrevista ao DN/TSF, pondo mesmo a hipótese de negociar com os profissionais sem a intervenção dos sindicatos. A bastonária mostrou-se disponível para servir de intermediário entre o ministério e os sindicatos.