O Governo moçambicano ativou o alerta laranja para permitir a assistência às vítimas de inundações durante a época chuvosa que vai até março de 2019, anunciou a diretora-geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

“Estando o país já no pico da época chuvosa e tendo em conta que já começam a ocorrer situações que suscitam uma monitorização e intervenção preventiva, propõe-se a declaração de um alerta laranja em todo país”, afirmou Augusta Maíta, citada esta sexta-feira pelo jornal “O País”.

A ativação do alerta visa dar celeridade à mobilização de recursos para a assistência às vitimas das cheias e à reposição de danos, justificou a dirigente.

O Governo moçambicano e parceiros prestaram assistência humanitária a cerca de 330 mil pessoas afetadas pela insegurança alimentar nos meses de novembro e dezembro.

Para janeiro e abril prevê-se a canalização de ajuda para 418 mil pessoas.

Chuvas mataram 15 pessoas e destruíram mais de duas mil casas

As cheias em Moçambique mataram 15 pessoas e destruíram duas mil casas, desde outubro, indicou a diretora-geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INCG).

Os fenómenos associados à época chuvosa 2018/2019 provocaram ainda ferimentos a 54 pessoas, destruição total de 522 casas e parcial de 1.800 entre outubro e dezembro, disse Augusta Maíta, citada esta sexta-feira pelo jornal “Notícias”.

A maioria das mortes e danos aconteceu na região norte de Moçambique.

Para a época chuvosa 2018/2019, o executivo moçambicano aprovou um orçamento de 206 milhões de meticais, mas, no total, precisa de 1,1 mil milhões de meticais.

Os parceiros de cooperação estão a prestar apoio ao INGC para cobrir o défice, acrescentou a diretora-geral do INGC.

Na quinta-feira, o Governo moçambicano aprovou o alerta laranja, para permitir a assistência as vítimas das calamidades naturais.