Rádio Observador

Primeira Liga NOS

A oportunidade de Soares, o tiro de Gudelj, os protestos de Jefferson e segundo amarelo pedido pelo FC Porto

O jogo acabou empatado mas Soares podia ter marcado, Gudelj esteve perto do golo, Jefferson protestou por ter visto amarelo e o FC Porto pediu a expulsão de Bruno Fernandes. Os lances do clássico.

Jefferson fez falta sobre Corona, viu amarelo e continuou a protestar (arriscando algo mais)

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Num clássico muito morno até ao intervalo, Sporting e FC Porto pouco mais fizeram do que manter as respetivas balizas invioláveis. Situações de golo: zero. Remates enquadrados: quase nenhum. Emoção: rara. A segunda parte trouxe velocidade e (alguma) vontade de ganhar o jogo, com duas oportunidades claras para cada lado e mais fluxo ofensivo relevante. Renan roubou o golo a Soares, Gudelj quase marcou de muito longe, Marega atirou por cima e Bas Dost falhou aquilo que quase nunca falha.

À passagem do 11.º minuto de jogo, quando Bruno Fernandes já fugia e tentava entrar dentro da grande área rumo à baliza de Casillas, Héctor Herrera parou o médio do Sporting em falta e deixou o número 8 muito queixoso. Na cobrança do livre direto, perigoso para o FC Porto, Mathieu bateu de pé esquerdo mas a bola desviou na barreira e passou por cima da trave.

Pouco mais de cinco minutos depois, Jesús Corona recebeu a bola à entrada do meio-campo do Sporting, de costas para a baliza, e foi carregado em falta por Jefferson. O lateral brasileiro chegou atrasado e acabou por ver cartão amarelo: desagradado com a decisão de Hugo Miguel, confrontou o árbitro da partida e teve mesmo de ser o capitão Nani a afastá-lo para evitar males maiores.

Já depois da meia hora, no seguimento de um dos lances mais perigosos da primeira parte, Bruno Fernandes parou Corona e motivou muitos protestos por parte do banco técnico do FC Porto. Hugo Miguel não hesitou em mostrar o cartão amarelo ao médio português. No último minuto da primeira parte, num contra-ataque rápido dos dragões depois de uma jogada de perigo entre Jefferson e Bas Dost, Bruno Fernandes interrompeu o lance e o jogadores azuis e brancos ficaram a pedir segundo amarelo e o consequente vermelho para o médio leonino. Hugo Miguel só assinalou falta.

A segunda parte trouxe melhor futebol e oportunidades de golo. O FC Porto arrancou mais forte e com vontade de resolver depressa e Soares poderia ter inaugurado o marcador logo aos 56 minutos, depois de um passe de Corona, mas Renan aplicou-se e evitou o primeiro golo do jogo. Pouco depois, foi a vez de Marega aproveitar um mau alívio de Coates para puxar o pé atrás a atirar forte à baliza do Sporting: a bola subiu demasiado e passou por cima da trave.

O Sporting respondeu com outras duas oportunidades. Gudelj apontou a mira e rematou de muito longe, para uma boa defesa de Casillas, e Bas Dost surgiu quase sozinho na pequena área, para cabecear depois de cruzamento de Ristovski, mas a bola saiu fraca e ao lado.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)