Rep Democrática do Congo

União Africana cancela missão a Kinshasa após vitória de Tshisekedi nas presidenciais

União Africana cancelou missão à República Democrática do Congo, agendada para segunda-feira, após ter sido anunciada a vitória de Felix Tshisekedi nas eleições presidenciais da RDCongo.

TIAGO PETINGA/LUSA

A União Africana cancelou este domingo a sua missão à República Democrática do Congo (RDCongo), agendada para segunda-feira, após o Tribunal Constitucional congolês ter anunciado a vitória de Felix Tshisekedi na eleição presidencial de 30 de dezembro.

A decisão foi confirmada por uma fonte da União Africana, que indicou que a organização pan-africana tomou esta decisão na sequência do Tribunal Constitucional ter decretado Félix Tshisekedi Presidente do país, após rejeitar todos os recursos interpostos contra os resultados provisórios das eleições.

Segundo a agência Associated Press, ao rejeitar os recursos, o Tribunal Constitucional ratificou a vitória de Félix Tshisekedi, que obteve cerca de 38,57% dos votos contra 34,86% do candidato do principal partido da oposição, Martin Fayulu, de acordo com os dados provisórios divulgados pelo Comité Eleitoral do país em 10 de janeiro.

Tshisekedi, 55 anos, será o sucessor de Kabila, que preside aos destinos do país desde 2001. O candidato que ficou em segundo lugar nas eleições presidenciais da RDCongo, Martin Fayulu, apelou este domingo à população para que proteste em todo o país, depois de o tribunal ter ratificado a vitória de Félix Tshisekedi.

“Apelo também a toda a comunidade internacional para que não reconheça um poder que não tem legitimidade nem capacidade jurídica para representar o povo congolês”, declarou Fayulu, afirmando-se como “o único Presidente legítimo” da RDCongo. Na passada quinta-feira, a União Africana pediu a “suspensão da proclamação” dos resultados eleitorais definitivos na RDCongo e acordou o envio de uma delegação de “alto nível” a Kinshasa.

Reunidos em Addis Abeba, capital da Etiópia, chefes de Estado e de governo africanos consideraram “existirem sérias dúvidas sobre a conformidade dos resultados provisórios, tais como foram proclamados pela Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI)”. O novo Presidente da República Democrática do Congo toma posse na terça-feira.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)