Em semana de apresentação das coleções de alta-costura em Paris, a devida escala em Yves Saint Laurent, mas agora fora das passerelles e em boa parte devido aos valores recorde atingidos. Em apenas 24 horas, coleções particulares da atriz Catherine Deneuve e de Mouna Ayoub, socialite e empresária francesa de origem libanesa (e colecionadora voraz de alta-costura) despertaram a atenção dos fashionistas e o resultado é no mínimo estrondoso.

Os olhares centravam-se sobretudo nas 350 peças que Deneuve disponibilizou para serem leiloadas pela Christie’s (a venda arrancou esta quinta-feira, 24 de janeiro, e estender-se-ia até dia 30 em modo online, mas em cinco horas voou tudo), mas na verdade foi Ayoub que primeiro chamou a si a atenção, quando um dos seus casacos saídos do génio do mago gaulês (1936–2008), inspirado no pintor Van Gogh, foi comprado por 175,500€. Um pequeno tesouro de vestir retirado do baú de finais dos anos 80, quando o costureiro prestou tributo nas criações a uma série de antigos mestres.

O exemplar que foi vendido por muitos milhares, aqui no desfile original, nos idos de 80 ©DR

A bilionária desfez-se esta quarta-feira de 100 artigos do seu guarda-roupa através da casa francesa Cornetre de Saint Cyr.O balanço final atingiu uns impressionantes 400 mil euros, um valor inédito para uma venda com assinatura Saint Laurent, sendo que um dos destaques deste leque situado entre 1988 e 2001 foi o famoso casaco “Isis”, uma peça da coleção couture do verão de 1998, e cuja estimativa não ia além dos 40 mil euros.

Quanto a Catherine Deneuve, os números não são menos fantásticos. Cerca de 800 000€  é quanto rendeu o leilão do seu lote, depois de disputa feroz, sobretudo por criações absolutamente icónicas como o vestido que usou em 1969 quando conheceu o realizador Alfred Hitchcock, e que ultrapassou os 42,000€.