O perfil de Instagram ‘Egg Gang’ foi criado com um objetivo: destronar Kylie Jenner. A modelo/estrela/socialite tinha a fotografia com mais ‘gostos’ na rede social e, rapidamente, a imagem de um ovo ultrapassou-a assim que se tornou viral. O perfil que fez a partilha continua a ser anónimo e, agora, há mais três fotografias do mesmo ovo com várias rachas. Tudo indica que vai abrir e a agência de marketing Jerry Media, que foi responsável por promover o polémico Fyre Festival, está a tentar vender o espaço do conteúdo surpresa que vai ser revelado. Vale “milhões”, disse o responsável da empresa ao The Atlantic, que avançou a notícia.

Desde dia 18 de janeiro que têm sido partilhadas mais fotografias do misterioso ovo, sempre com mais rachas

O movimento ‘Need to Impeach’, que tem como objetivo destituir o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, rejeitou uma proposta “interessante”, disse uma porta-voz da campanha. A agência do Fyre Festival propunha que na última imagem a ser partilhada, em que o ovo abre finalmente, aparecessem as palavras “impeach Trump” com uma animação do chefe de estado norte-americano a dançar como uma galinha.

Com a rejeição por parte deste movimento político, o conteúdo do ovo é cada vez mais apelativo para muitas marcas. Como o fenómeno foi viral e pode facilmente voltar a ser, este espaço “vale pelo menos 10 milhões dólares [cerca de 8,7 milhões de euros]”, contou ao mesmo meio Nik Sharma, responsável pela agência VaynerMedia. Este especialista em Marketing assume que vai recomendar clientes a investirem nesta ideia “em de vez de anúncios da Super Bowl”, um dos espaços publicitários mais caros atualmente.

A oportunidade de negócio está a levar outras agências de publicidade a querem juntar-se ao ovo, prometendo vender a última fotografia em que se vai mostrar o ovo aberto. Contudo, a conta oficial do The Egg não confirma nenhuma parceria, respondendo a dúvidas ao The Atlantic apenas por mensagem privada. Quem está responsável por esta conta tem aproveitado o sucesso para causas de caridade — através da venda de merchandising — para ajudar instituições de saúde mental, como a YoungMinds ou a National Alliance on Mental Illness.