A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação aumentou em janeiro para 1,054%, face aos 1,053% em dezembro, revelam dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Esta taxa tinha descido pela primeira vez em novembro, para 1,049%, face a 1,051% em outubro, depois de oito meses consecutivos sem cair.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 1,282% em janeiro, mais alta do que a de 1,424% em dezembro. Para o destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos manteve-se em 1,075%.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para financiamento aquisição de habitação desceu para 1,255%.

Para a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação vencida manteve-se em 244 euros e deste valor, 46 euros (19%) correspondem a pagamento de juros e 198 euros (81%) a capital amortizado.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação diminuiu 23 euros em janeiro, para 309 euros.