Rádio Observador

Fotojornalismo

As 130 fotos nomeadas para o World Press Photo

368

Há uma nova categoria e um português nomeado para a maior distinção de fotojornalismo do mundo. Os vencedores do World Press Photo só são conhecidos em abril. Mas aqui pode ver todos os nomeados.

© Brent Stirton, Getty Images

Já foram anunciados os nomeados para o World Press Photo, o mais prestigiado prémio de fotojornalismo do mundo. É uma distinção que reconhece os fotógrafos profissionais pelas melhores fotos desde 1955. Nesta edição há um português entre os nomeados e a fundação introduziu uma nova categoria: a História do Ano do World Press Photo. Agora também já podem ser reconhecidos “os fotógrafos cuja criatividade e habilidades visuais produziram uma história com excelente edição e sequenciamento que captura ou representa um evento ou assunto de grande importância jornalística”, descreve a organização.

Este ano, o concurso contou com 4.738 fotógrafos de 129 países que enviaram quase 79 mil imagens para a Fundação World Press Photo. Deste oceano de fotografias, apenas 43 artistas — vindos da Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, República Checa, Egipto, França, Alemanha, Hungria, Irão, Itália, México, Holanda, Noruega, Filipinas, Portugal, Rússia, África do Sul, Espanha, Suécia, Síria, Turquia, Reino Unido, Estados Unidos e Venezuela — foram distinguidos. De acordo com dados da fundação, 14 dos nomeados são mulheres — quase três vezes mais que na edição anterior.

Há seis nomeados para a Foto do Ano do World Press Photo: “Vítimas de um Alegado Ataque com Gás recebem Tratamento em Ghouta” de Mohammed Badra (Síria); “Rapaz de Almajiri” de Marco Gualazzini (Itália); “Estar Grávida depois da Proibição de Natalidade das FARC” de Catalina Martin-Chico (França/Espanha); “O Desaparecimento de Jamal Khashoggi” de Chris McGrath (Austrália); “Rapaz Chora na Fronteira” de John Moore (Estados Unidos); e “Akashinga – Os Corajosos” de Brent Stirton (África do Sul).

Além disso também há três nomeados para a História do Ano do World Press Photo: “A Crise do Lago Chad” de Marco Gualazzini (Itália), “A Caravana de Migrantes” de Pieter Ten Hoopen (Holanda/Suécia) e “A Crise no Iémen” de Lorenzo Tugnoli (Itália).

O português nomeado para um prémio World Press Photo é o fotógrafo Mário Cruz. A imagem “Viver entre o que foi deixado para trás” foi distinguida na categoria Ambiente com uma imagem do rio Pasig em Manila, nas Filipinas. Na imagem, uma criança recolhe material reciclável deitada num colchão cercado por lixo enquanto flutua nesse rio. Mário Cruz é fotojornalista da agência Lusa, mas desenvolveu este projeto a título pessoal sobre as comunidades de Manila que vivem sem saneamento, junto ao rio, rodeadas de lixo.

Os vencedores do concurso serão anunciados na cerimónia a 11 de abril, em Amesterdão (Holanda). Mas pode espreitar todos os possíveis vencedores — mesmo todos — na fotogaleria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Incêndios

Um fogo que se apaga

Vera de Melo

Como podemos preparar as crianças para lidar com os incêndios? Como as podemos ajudar e tranquilizar? Aqui ficam algumas dicas.

Política

A sobrevivência do socialismo /premium

André Abrantes Amaral

O socialismo é a protecção de um sector contra os que ficam de fora. O desejo de ordem e a desresponsabilização é natural entre os que querem segurança a todo o custo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)