O proprietário da equipa de futebol americano New England Patriots foi acusado de solicitar o serviço de prostitutas num salão de massagens na Flórida. Robert Kraft terá sido tramado pelas câmaras de vigilância e recorrido por duas vezes ao Orchids of Asia Day Spa & Massage, um destino na cidade de Jupiter, naquel estado.

Segundo a polícia, o caso tem um mês, quando surgiram as primeiras investigações à “exploração sexual” e eventual tráfico humano, que teria palco neste salão de funcionamento duvidoso. O milionário de 77 anos nega tudo. “Negamos categoricamente que o Sr. Kraft se tenha envolvido em qualquer atividade ilegal. Porque é uma questão judicial, não vamos comentar mais”, disse o porta-voz de Kraft, citado por órgãos como a CNN. A NFL (National Football League) já se manifestou. Afirmou estar “ciente da questão da aplicação da lei” e disse que ia continuar a “acompanhar os desenvolvimentos” da investigação.

O referido spa na cidade de Jupiter fora um dos dez espaços encerrados pelas autoridades na sequência das rusgas. Quanto à atividade no interior do dito salão, o site do Orchids of Asia Day Spa & Massage fala num “variedade de modalidades de massagens”, feitas em “quartos privados, tranquilos e limpos”. Segundo a polícia, o custo de visita por hora ronda os 79 dólares (67 euros).

A dona do spa, Hua Zhang, foi presa esta terça-feira por acusações também relacionadas com a prostituição e tem uma fiança avaliada em 278 mil dólares (245 mil euros). A gerente do salão, Lei Wang, uma conhecida cantora de Singapura, foi presa no mesmo dia e compareceu no tribunal pela primeira vez na quinta-feira. De acordo com vários homens, citados pelo Palm Beach Post, era à gerente que se pagavam as atividades ilícitas que decorriam no salão. Até agora, há vinte e cinco pessoas acusadas de prostituição.