A maioria dos estabelecimentos de ensino básico e secundário diminuiu o número de horas letivas da disciplina de História, avança o semanário Expresso. Esta diminuição resulta da flexibilidade curricular — aprovada pelo Governo e em vigor desde o início do ano letivo — que dá autonomia a todos os agrupamentos de escolas de gerir até 25% o horário.

Na generalidade, verifica-se uma redução de 45 ou de 50 minutos por semana em cada um dos ciclos de ensino, incluindo no secundário. Casos há em que a redução é ainda maior”, disse ao semanário Miguel Monteiro de Barros, presidente da Associação de Professores de História (APH).

Esta diminuição deve-se às novas disciplinas introduzidas em todas as escolas — Cidadania e Desenvolvimento e  Tecnologias de Informação e Comunicação — que retiraram tempo de aulas às disciplinas já existentes, tendo a de História saído prejudicada.

A conclusão partiu de um estudo realizado pela APH, que defende a definição de tempos mínimos na disciplina e que enviou aos professores de História um inquérito onde lhes era pedido para relatarem o que tinha acontecido às suas disciplinas nas respetivas escolas. Os resultados desses inquéritos vão agora ser enviados ao secretário de Estado da Educação, João Costa, avança o mesmo jornal.

Também a Associação de Professores de Geografia recebeu relatos de escolas onde houve cortes na disciplina. A Associação Portuguesa de Geógrafos vai reunir-se com o Ministério da Educação, na próxima semana, para transmitir estas preocupações.