Foi o primeiro assassinato de um chefe da máfia em Nova Iorque desde 1985. A morte de Francesco “Frank” Calli sucedeu à de outro líder da família Gambino, Paul Castellano. Mas há duas grandes diferenças entre os casos: Castellano foi morto à porta de um restaurante numa disputa pela liderança da máfia Gambino; Cali foi assassinado a tiro à porta de casa numa luta pelo namoro de uma sobrinha.

A 13 de março, Anthony Comello bateu com a sua carrinha no carro de Frank Calli, estacionado em frente à casa do mafioso. Depois o jovem de 24 anos, que já admitiu o homicídio e foi detido pela polícia norte-americana, tocou à campainha de Cali. Os dois homens discutiram, Cali saiu à rua e Comello matou-o a tiro. O jovem entrou no carro, atropelou o corpo baleado de Frank Cali e fugiu enquanto a família tentava ajudar o capo.

Inicialmente as autoridades nova-iorquinas não tinham suspeitos. Mas o local do assassinato deixou os agentes desconfiados à partida, avança a Vice: É tido como má educação matar um membro da máfia junto à sua casa, para não trazer stress desnecessário à família. Portanto o golpe não estaria ligado a lutas internas dos Gambino, nem a disputas entre famílias mafiosas rivais.

Cali, explica o New York Times, teria querido impediu um romance entre uma sobrinha e Anthony Comello, afastando o jovem, que trabalhava na construção civil e vivia com os pais em New Jersey. Irritado, Comello assumiu que foi confrontar o líder da máfia sobre a sua intervenção na disputa amorosa, mas o jovem diz que foi Frank Cali quem o atacou — e o homicídio aconteceu em auto-defesa.

Os Gambino são uma das cinco históricas famílias mafiosas a operar em Nova Iorque, a par com os Lucchese, Genovese, Bonanno, e Colombo. A máfia como um todo tem perdido poder e influência desde o final da década de 90, após a prisão de vários dirigentes criminosos.

O líder da família Gambino após o assassinato de Paul Castellano, foi John Gotti — que, aliás, é tido como o responsável pela morte de Castellano. Gotti continuou a liderar a organização criminosa até à sua morte, apesar de ter sido preso em 1990. Foi sucedido pelo irmão mais velho, Peter Gotti, que cedeu a liderança da família em 2011, estando preso desde 2003. Frank Cali assumiu a direção dos Gambino em 2015.