Rádio Observador

Sporting

Bruno e a maior série da carreira como menos se esperava: “Não sou de marcar de cabeça mas quando é preciso…”

Costuma marcar (e assistir) de pé direito, colocou o Sporting na final da Taça de pé esquerdo mas também marca de cabeça – é raro mas acontece e, na Vila das Aves, valeu-lhe mais alguns recordes.

Bruno Fernandes marcou pelo quarto jogo seguido, igualando o melhor registo de sempre na carreira

AFP/Getty Images

“Homem do Jogo? Ainda não fiz a conta aos prémios que recebi mas é gratificante, obviamente. Mas isto é o trabalho de todos nós, daquilo que temos vindo a fazer ao longo do ano. É mérito de todos. Nada se conquista sozinho, mesmo nos prémios individuais é preciso ter uma equipa por trás que nos ajude”, confessava Bruno Fernandes na zona de entrevistas rápidas após o final do Desp. Aves-Sporting, que lhe valeu a nona distinção como melhor jogador em campo (apenas encontros do Campeonato). Nove que até podiam ser mais. Pelo que marca, pelo que assiste e pelo que joga, como foi o caso esta noite. Ainda assim, são os remates certeiros que melhor lhe tiram a pinta e é nesse particular que continua a somar recordes atrás de recordes.

Além de ter superado o melhor registo do médio Frank Lampard numa só temporada (27), o golo apontado pelo internacional português na Vila das Aves colou-o a outro goleador em terrenos mais recuados, Alex – o brasileiro que se notabilizou ao serviço de Cruzeiro e Palmeiras antes de jogar quase uma década nos turcos do Fenerbahçe, entre 2004 e 2013. Em paralelo, e olhando apenas para os jogos do Campeonato, o número 8 superou os 15 golos de Krassimir Balakov numa só temporada, naquele que era até hoje o melhor registo de um médio no clube verde e branco. E somou também a quarta partida seguida a marcar, igualando a melhor série que conseguiu na carreira. Ao todo, e em 47 jogos em 2018/19, Bruno marcou em mais de metade (24), com a nuance de ter agora festejado de cabeça, algo que tinha apenas acontecido até agora com o Feirense.

“É o fruto do trabalho e de muito sacrifício, de muita luta e do trabalho coletivo feito até agora, pois ajudou-me a chegar a este número. Não sou um jogador de marcar de cabeça mas quando é preciso temos de lá estar. Aconteceu hoje. Tive a sorte de apanhar um grande cruzamento do Ristovski e finalizei bem”, destacou a propósito do terceiro golo dos leões.

“Apesar da expulsão logo no início, conseguimos estar equilibrados e fortes mentalmente, manter o foco no jogo que era o mais importante. O Desp. Aves tem uma boa equipa, com qualidade. Sabemos que as equipas quando lutam para não descer e são os últimos pontos disponíveis entram em jogo mais aguerridas porque está quase a acabar e têm de fazer pontos de qualquer maneira. Apesar disso, estivemos muito bem, taticamente muito inteligentes, com mérito do mister pelo que nos passou após a expulsão mas em especial ao intervalo. Fomos capazes de cumprir este plano”, abordou sobre o jogo.

“Melhor momento da temporada? O melhor Sporting desta época, infelizmente, viu-se a espaços. Estamos num período longo de vitórias, o que é positivo, mas não podemos confiar que vitórias tragam mais vitórias. O importante é continuar a lutar, a trabalhar porque daqui até ao fim temos de ganhar todos os jogos”, concluiu Bruno Fernandes.

De referir que, com mais um triunfo, os leões passaram a somar um total de sete triunfos e dez encontros consecutivos sem derrotas (igualando o melhor registo da temporada), ao mesmo tempo que confirmaram a melhor série no Campeonato alcançando também três triunfos como visitante pela primeira vez na presente época.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)