Miguel Oliveira começou a qualificação para o Grande Prémio das Américas a surpreender. O piloto português da Tech 3 arrancou a primeira ronda com o tempo mais rápido e chegou a voltar ao topo da classificação já a meio da eliminatória inicial. Ainda assim, depois de dar indícios de que poderia ser a surpresa da qualificação e agarrar um lugar muito confortável na grelha de partida, Miguel Oliveira acabou ir caindo ao longo da lista de pilotos e não conseguiu melhor do que a 18.ª posição na hora do arranque. E o piloto português não escondeu a desilusão.

“Foi um dia complicado, devido às condições meteorológicas que se fizeram sentir (…) deu para confirmar algumas alterações na moto e portanto vamos fazer o melhor possível para termos um bom ritmo e prepararmos o melhor possível a corrida. Ficámos um pouco fora do nosso objetivo, mas vai ser uma corrida longa e muito física e portanto vamos dar o nosso máximo, como sempre, para seguir dentro daquilo que é o nosso objetivo”, indicou Miguel Oliveira, que depois de conquistar os primeiros pontos de um piloto português no Moto GP há duas semanas, no Grande Prémio da Argentina (terminou em 11.º), não escondeu que o plano é continuar a lutar pelas posições pontuáveis. No Instagram, o piloto garantia que estava “pronto e focado”.

O piloto português não arrancou bem e perdeu logo duas posições na primeira curva, caindo para o 21.º lugar. No final da volta inicial, porém, o piloto da Tech 3 já tinha recuperado um lugar e mantinha um bom ritmo que o colocava sempre perto das motos que rodavam à sua frente, sendo previsível a escalada de mais algumas posições. À sexta volta, o português era já 15.º, posição pontuável, e estava colado a Johann Zarco, à procura de um lugar mais confortável entre os pontos. Entretanto, à volta 8 e na frente do pelotão, Marc Márquez caiu e deixou a pista aberta para Valentino Rossi regressar às vitórias no Moto GP.

Miguel Oliveira continuou a galgar posições, beneficiou da queda de Jorge Lorenzo e chegou à 12.ª volta a lutar pelo 12.º lugar com Zarco. Ainda assim, a cinco voltas do final, o piloto português acabou por ser apanhado por Maverick Viñales e caiu para 14.º, posição de onde já não saiu até cortar a meta do GP das Américas. Lá à frente, Rossi acabou por ser ultrapassado por Álex Rins (que se estreou nas vitórias) e não conseguiu voltar às vitórias que escapam desde 2017, terminando em segundo, e Jack Miller fechou o pódio, à frente de Andrea Dovizioso.

Miguel Oliveira volta a entrar em pista no fim de semana de 3 a 5 de maio, no Grande Prémio de Espanha, no circuito de Jerez de la Frontera. O piloto português da Tech 3 voltou a conquistar pontos no Moto GP depois de se ter estreado nas posições pontuáveis há duas semanas, na Argentina. “Mais uns pontos alcançados! Continuamos focados em melhorar e cumprir os nossos objetivos”, reagiu Oliveira no Instagram.