Rádio Observador

Sri Lanka

Português de 30 anos que morreu em atentado era de Viseu, adorava viajar e estava em lua-de-mel no Sri Lanka

1.227

Português que morreu no atentado no Sri Lanka estava de lua-de-mel com a mulher. Rui Lucas tem cerca de 30 anos e é de Viseu. Gostava muito de viajar e era uma pessoa "extremamente dedicada".

Rui Lucas tinha 30 anos e era natural de Viseu. Créditos: Facebook

Rui Lucas e a mulher, Sílvia, estavam de lua-de-mel no Sri Lanka e tinham casado há uma semana.  O português é uma das vítimas mortais dos ataques no Sri Lanka e, como avançou o Observador, é natural de Viseu. A mulher do português continua no país e pediu ao Governo ajuda para “regressar rapidamente” a Portugal. O casal estava hospedado no Hotel Kingsbury, em Colombo, um dos hotéis que foi alvo de ataques bombistas.

O português era técnico de automação e energia na empresa T&T multielétrica. O dono da empresa, Augusto Teixeira, recorda o empregado, em declarações ao Observador, como uma “pessoa extremamente dedicada, disponível a 100% para a empresa e para quaisquer projetos em que se envolvesse e com valores humanos que são difíceis de encontrar nas pessoas“. O empresário conheceu Rui Lucas em 2013, quando o jovem foi entrevistado para um cargo na empresa, acabando por ser selecionado.

Augusto Teixeira contou também que o jovem e a mulher, Sílvia, gostavam “muito” de viajar e “normalmente, faziam-no todas as férias”. O dono da empresa recordou até, ao Observador, um episódio que aconteceu “há certa de dois anos”, em que ambos marcaram férias na mesma altura, para o mesmo destino, sem saber. “Estava numa esplanada, no sul de Espanha, e ele apareceu, de repente. Tocaram-me no ombro e era ele. Foi uma coincidência”, contou.

O empresário não sabia que Rui Lucas estava a passar a sua lua-de-mel no Sri Lanka. Por isso, quando viu as notícias esta manhã não pensou sequer na possibilidade de o seu funcionário poder estar entre as vítimas. “Mas, passado um pouco, um colega perguntou-me se sabia alguma coisa dele. Contou-me que ele estava lá, que havia um vítima mortal portuguesa e que era de Viseu”, contou, acrescentando: “Era muita coincidência. Ainda por cima diziam que [a vítima mortal portuguesa] estava de lua-de-mel“. Augusto Teixeira ficou “completamente chocado” com a notícia.

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, falou com a mulher da vítima logo pela manhã e garantiu-lhe todo o apoio possível. O governante foi questionado esta manhã por uma jornalista da TVI sobre se o casal estava em lua-de-mel, mas José Luís Carneiro não confirmou nem negou a informação — que seria horas depois confirmada pelo Correio da Manhã e pelo Jornal de Notícias. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também ligou à viúva a dar-lhe conforto e um sinal de apoio.

A cônsul portuguesa no Sri Lanka, Preenie Pine, está a dar apoio à portuguesa e a tentar colocá-la num voo de regresso. José Luís Carneiro lembra que os voos estiveram suspensos naquele país, mas que assim que for possível, o próprio Estado português vai assumir a marcação e o pagamento da viagem de regresso. Também a transladação do corpo e os custos a ela associados serão garantidos pelo Estado português.

Houve uma segunda família portuguesa que estava no Sri Lanka, composta por quatro pessoas, que contactou o secretário de Estado com pedidos de ajuda. Essa família está segura.

A agência Lusa falou também com uma família (que não se sabe se é a mesma que foi referida pelo secretário de Estado) que estava a tentar chegar ao aeroporto horas antes do voo para não ficarem sujeitos às regras do recolher obrigatório. Trata-se de um casal que viajou com os filhos. Foi precisamente uma filha, Ana Inácio, que explicou à Lusa que os pais, que tinham previsto sair do país à meia-noite, iriam para o aeroporto “várias horas antes”, para poder evitar o recolher obrigatório.

“Só têm voo à meia-noite de hoje, mas vão ver se conseguem partir para lá já e não ficarem em terra. O nosso hotel em Negombo informou-nos que o recolher obrigatório é a partir das 18:00 e até as seis da manhã de amanhã [segunda-feira] e ninguém está autorizado a circular no Sri Lanka”, disse a filha do casal que está a terminar um curto período de férias no país.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)