600 quilómetros por hora. É a esta velocidade que a China quer transportar passageiros na linha férrea e já tem preparado o protótipo do que pode vir a ser o comboio mais rápido do mundo. A máquina está a ser ainda desenvolvida pela empresa estatal chinesa China Railway Rolling Stock Corporation (CRCC), conta a NBC News.

Para alcançar estas velocidades, o comboio vai levitar em carris especiais, utilizando a tecnologia “maglev”, que permite que as carruagens levitem magneticamente acima da linha férreas. Devido a esta inovação, o responsável pela equipa de desenvolvimento do comboio afirma que uma viagem neste novo transporte entre Pequim e Xangai, separadas por 1214,1 quilómetros, pode ser mais rápida do que de avião e demorar apenas cerca de três horas e meia.

Para já, ainda não há data oficial sobre quando é que o comboio da CRCC vai começar a operar na China. Antes disso, é certo que ainda vão ser precisos vários anos de testes. Segundo Chris Jackson, editor executivo do jornal Railway Gazette International, este protótipo é “um projeto de investigação” e “não há planos firmes para desenvolver uma rota comercial”.

A tecnologia maglev está a ser desenvolvida há vários anos. Com a levitação, não há fricção e, por isso, os comboios conseguem alcançar velocidades muito mais elevadas. Além disso, cria menos barulho e precisa de menos manutenção, explica a NBC. O comboio tem ainda um design esguio para melhorar a aerodinâmica.

Atualmente, o Japão está a construir esta tecnologia para uso comercial e espera lançá-la em 2027. Teoricamente, esse projeto japonês pode alcançar as mesmas velocidades do comboio chinês. Países como os Estados Unidos estão a desenvolver também esta tecnologia, mas não a vão aplicar para longas distâncias, devido ao elevado custo de construção. Uma linha entre Washington D.C. e Baltimore, separadas por cerca de 62 quilómetros, custaria, segundo as estimativas, cerca de 10 mil milhões de euros.

Devido à eficiência a longo prazo, a utilização da tecnologia maglev pode ser aplicada em meios urbanos para distâncias mais curtas nos EUA e Europa. O comboio mais rápido a operar em Portugal é o Alfa Pendular, que anda a velocidades até 220 quilómetros por hora.