(Atualizado às18h10) 

O aparecimento de algas vermelhas em “alguns setores” da praia de Carcavelos, esta quinta-feira, obrigou as autoridades locais a proibirem os banhos numa zona restrita da área balnear. A bandeira vermelha foi içada “preventivamente” nas zonas balneares “onde se verifica a presença” das algas, dado que o contacto com estas “causa urticária”, informa a Câmara Municipal de Cascais no seu site oficial.

A autarquia cascalense lembra que este “é uma situação comum em diversas praias do país e é conhecido como fenómeno de upwelling — subida das águas subsuperficiais, ricas em nutrientes”.

Em grande parte da área da praia de Carcavelos, o acesso aos banhos não está proibido, com bandeiras amarelas e até verde na maior parte da área balnear. Em quase toda a praia há banhistas e surfistas na água, apurou o Observador no local. A exceção é a ponta direita da praia, onde estavam às 17h45 duas bandeiras vermelhas içadas.

Embora o upwelling esteja confirmado em secções da praia de Carcavelos, e também do Tamariz, por precaução (…) foi decidido hastear a bandeira vermelha”, informou a Câmara Municipal.

A situação foi avaliada pela Capitania do Porto de Cascais, a Polícia Marítima, o corpo de Nadadores Salvadores, a Agência Portuguesa do Ambiente e a Câmara Municipal de Cascais”, detalhou a autarquia.

Esta segunda-feira, as praias algarvias entre a Ilha do Farol (Faro) e a Vilamoura (Loulé) tinham sido interditas a banhos, após o surgimento de uma mancha vermelha na água. A mancha foi provocada de um tipo específico de algas, os dinoflagelados, que pertencem ao plâncton marinho e que podem viver também em água doce.

[As imagens do perigoso mar de algas que cobriu o Algarve:]