O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo ameaçou o Irão com mais sanções se o país prosseguir com o plano de expandir o programa nuclear — algo que desobedece ao acordo que Teerão assinou em 2015 após 12 anos de crise à volta do programa nuclear iraniano. Num tweet publicado este domingo, dia em que estava agendada esse enriquecimento nuclear, Mike Pompeo escreveu: “A expansão do programa nuclear pelo Irão vai levar a maior isolamento e sanções. As nações devem manter-se com o padrão de longa data de não enriquecimento  para o programa nuclear do Irão”.

Segundo o secretário de Estado, “o regime do Irão, equipado com armas nucleares, pode representar uma ameaça ainda maior para o mundo”. A mensagem de Mike Pompeo acompanha a tomada de posição de Donald Trump quando escreveu no Twitter uma mensagem dirigida a Hassan Rouhani: “Tenham cuidado com as ameaças, Irão. Elas podem voltar atrás e morder-vos como ninguém alguma vez mordeu”.

As reações norte-americanas chegam depois de o presidente iraniano ter avisado: “Vamos aumentar o nível de enriquecimento de urânio para lá de 3,67% tanto quanto quisermos, tanto quanto necessário, tanto quanto for preciso”. Isso quebra o acordo assinado entre França, o Reino Unido e a Alemanha, em conjunto com a China, a Rússia, os Estados Unidos e o próprio Irão.

Perante a desobediência, os países da União Europeia que participaram no acordo estão agora a discutir a realização de uma reunião de emergência — o grupo costuma reunir trimestralmente e embora o tenha feito em final de junho, pode juntar-se novamente em breve. França, Reino Unido e Alemanha dizem-se “extremamente preocupados” com o aviso de Hassan Rouhani. E Israel, que em 2015 se opôs a um acordo com o Irão, pediu às potências mundiais que apliquem “sanções imediatas” ao país.

Países da UE incluídos no acordo nuclear do Irão preparam reunião de emergência

Enquanto espera por informações da Agência Internacional de Energia Atómica, o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros pediu ao Irão que “pare e reverta todas as atividades inconsistentes com os seus compromissos”. Londres assina por baixo da mensagem alemã: “O Irão violou os termos do acordo internacional [sobre energia nuclear no Irão] de 2015. Como o Reino Unido continua totalmente comprometido com o acordo, o Irão deve parar imediatamente e cancelar todas as atividades contrárias às suas obrigações”.