Rádio Observador

Direito de resposta

Direito de resposta: “Adjunto de secretário de Estado indicou fornecedores para kits e golas inflamáveis”

Direito de resposta a: "Adjunto de secretário de Estado indicou fornecedores para kits e golas inflamáveis" e a "Filho do secretário de Estado da Proteção Civil fez contratos com o Estado".

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Nos termos da Lei n.º 2/99, de 13 de Janeiro, publicamos o direito de resposta da Brain One, LDA, relativo aos artigos publicados no Observador “Adjunto de secretário de Estado indicou fornecedores para kits e golas inflamáveis” e “Filho do secretário de Estado da Proteção Civil fez contratos com o Estado. Lei prevê demissão”:

“BRAIN ONE, LDA., pessoa coletiva n.º 514297867, com sede na Rua Cidade Poligny, n.º 13 R/C 4540-202, união de freguesias de Arouca e Burgo, por ter sido visada nas notícias publicadas pelo Jornal Observador no seu website www.observador.pt nos dias:

Vem, no exercício dos seus direitos de Resposta e Retificação, conforme tipificados nos Art.º 24.º e 25.º da Lei n.º 2/99, de 13 de janeiro, oferecer a seguinte resposta:

“A sociedade BrainOne, Lda., acusada de ter “tido há vários anos, adjudicações da Câmara de Arouca” tem exatamente dois contratos públicos celebrados com o Município de Arouca.

Um referente à “Aquisição de serviços de iluminação cénica – Natal 2017”, no valor de 7.900,00 euros celebrado a 4 de dezembro de 2017;

E outro referente à “Aquisição de serviços de criação do Portal Automático”, no valor de 17.000,00 euros, celebrado a 6 de dezembro de 2017.

Ambos posteriores a Outubro de 2017, data em que foi eleita a atual presidente, Margarida Belém.

É evidente, que a BrainOne, Lda. não teve um único contrato público com o Município de Arouca durante o mandato do anterior presidente, Artur Neves, sendo falso e infundado o aventado nas notícias publicadas pelo Observador a esse respeito.

Importa também frisar que a BrainOne, Lda., desde a sua constituição a 17 de fevereiro de 2017 manteve sempre a sua designação social, nunca tendo tido o nome “Código Disponível” ou qualquer outro.

Do rol de falsidades importa ainda destacar que o gerente da BrainOne, Lda. é solteiro, nunca tendo casado com qualquer pessoa, muito menos tendo vivido em condições análogas às dos cônjuges com qualquer filha de qualquer vereador da CM Arouca.

Importa esclarecer que com a ANEPC foi celebrado um único contrato referente à “Aquisição de serviços para elaboração de guia de apoio à implementação ‘Aldeia Segura’ e ‘Pessoas Seguras’, no valor de 10.900,00 euros, celebrado a 1 de junho de 2018, o mesmo consistiu na produção editorial do guia de implementação e da respetiva impressão, com cerca de 100 páginas, num total de 10.200 unidades, conforme consta da fatura anexa.

As notícias publicadas pelo Observador criam dúvidas injustificadas quanto à lisura da conduta da BrainOne Lda., pondo em causa o seu bom-nome, pelo que urge retificá-las e dar publicidade à presente resposta.”

Notas da direção:

No texto “Filho do secretário de Estado da Proteção Civil fez contratos com o Estado. Lei prevê demissão” foi eliminado o parágrafo que citava o Jornal de Notícias e que referia a Brain One antes era denominada de “Código Disponível” — e  que sob esse nome celebrou contratos com a Câmara de Arouca, era o secretário de Estado seu presidente. Foi ainda corrigida a ligação familiar do gerente da Brain One a um vereador do PS. Não é marido, mas cunhado de uma filha deste autarca.

O texto “Adjunto de secretário de Estado indicou fornecedores para kits e golas inflamáveis” foi escrito pela redação do Observador e não pelo fotojornalista da LUSA José Sena Goulão como diz a Brain One. Este assina apenas a fotografia do secretário de Estado em causa. 

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Legislativas

Afluir de Rio em Costa instável

Gonçalo Sobral Martins

O líder do PSD fez ver que Portugal não soube aproveitar uma conjuntura externa extraordinária: apesar dos juros do BCE e do crescimento económico da zona-euro, nada melhorou substancialmente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)