Rádio Observador

Tráfico Humano

Quem é Ghislaine Maxwell, a mulher acusada de ajudar Jeffrey Epstein?

A morte do milionário acusado de violar menores e de tráfico sexual continua por esclarecer, mas os holofotes começam a virar-se para as pessoas que fizeram parte da sua vida.

Patrick McMullan via Getty Image

Não é a primeira vez que o nome de Ghislaine Maxwell surge associado à rede de tráfico sexual do milionário Jeffrey Epstein — de acordo com alguns relatos de testemunhas ela era mesmo uma das responsáveis por recrutar as jovens que eram depois abusadas. Virginia Roberts (agora Virginia Roberts Giuffre), uma das alegadas vítimas, afirmou, em entrevista ao Miami Herald em novembro de 2018, que foi Ghislaine Maxwell que a recrutou e lhe deu formação na área sexual. Tem sido uma das vozes mais ouvidas no processo do empresário que se suicidou no sábado na prisão, e afirmou que recebeu de Ghislaine aulas para utilizar “brinquedos sexuais” e “dar prazer a um homem através de sexo oral”.

Mas quem era Ghislaine Maxwell? A britânica de 57 anos é também ela uma milionária. A filha mais nova de nove filhos do poderoso patrão dos media Robert Maxwell, cresceu e frequentou a universidade em Inglaterra e mudou-se para os Estados Unidos da América em 1991 depois da morte do pai. Apesar de incerto o tempo que durou a relação, foi logo em 1992 que Ghislaine e Jeffrey namoraram.

No seu grupo de amigos mais próximo figuram igualmente nomes como Donald Trump, o Príncipe André, Bill Clinton (que eram amigos de Epstein) e a sua filha, tendo até sido uma das convidadas do casamento desta, como se vê nesta fotografia.

Ghislaine Maxwell é agora um dos nomes no centro da polémica que tinha Epstein como ator principal, ainda que tenha vindo a negar repetidamente todas as acusações que lhe são imputadas. Algumas das acusações já foram mesmo julgadas nos tribunais, mas Maxwell conseguiu sempre chegar a acordo. Alegadamente, foi depois da relação amorosa entre os dois que, na condição de amiga próxima, terá ajudado Jeffrey Epstein com as raparigas.

Pelo menos é essa a versão de várias jovens que acusam Ghislaine Maxwell de as recrutar para a rede de tráfico de Epstein. Desde 2015 que já vieram a público três acusações: uma em 2015, outra em 2017 e mais recentemente, em 2019.

Ghislaine Maxwell dedicou também algum tempo da sua vida à proteção dos mares e oceanos, depois de em 2012 fundar o ‘The TerraMar Project’. Enquanto presidente da fundação teve oportunidade de falar nas Nações Unidas, em 2014, a propósito da necessidade de proteção e conservação dos oceanos.

Nas fotografias mais antigas, divulgadas por alguns utilizadores do Twitter, é possível ver Ghislaine Maxwell e Jeffrey Epstein lado a lado com Donald e Melania Trump.

A NBC também resgatou dos seus arquivos um vídeo de uma festa em que os dois se divertem comentando as cheerleaders de uma festa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)