819kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Quem é Ghislaine Maxwell, a mulher acusada de ajudar Jeffrey Epstein?

Este artigo tem mais de 4 anos

A morte do milionário acusado de violar menores e de tráfico sexual continua por esclarecer, mas os holofotes começam a virar-se para as pessoas que fizeram parte da sua vida.

i

Patrick McMullan via Getty Image

Patrick McMullan via Getty Image

Não é a primeira vez que o nome de Ghislaine Maxwell surge associado à rede de tráfico sexual do milionário Jeffrey Epstein — de acordo com alguns relatos de testemunhas ela era mesmo uma das responsáveis por recrutar as jovens que eram depois abusadas. Virginia Roberts (agora Virginia Roberts Giuffre), uma das alegadas vítimas, afirmou, em entrevista ao Miami Herald em novembro de 2018, que foi Ghislaine Maxwell que a recrutou e lhe deu formação na área sexual. Tem sido uma das vozes mais ouvidas no processo do empresário que se suicidou no sábado na prisão, e afirmou que recebeu de Ghislaine aulas para utilizar “brinquedos sexuais” e “dar prazer a um homem através de sexo oral”.

A morte de Epstein: a fúria das vítimas, as teorias da conspiração e o ponto de situação da investigação

Mas quem era Ghislaine Maxwell? A britânica de 57 anos é também ela uma milionária. A filha mais nova de nove filhos do poderoso patrão dos media Robert Maxwell, cresceu e frequentou a universidade em Inglaterra e mudou-se para os Estados Unidos da América em 1991 depois da morte do pai. Apesar de incerto o tempo que durou a relação, foi logo em 1992 que Ghislaine e Jeffrey namoraram.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No seu grupo de amigos mais próximo figuram igualmente nomes como Donald Trump, o Príncipe André, Bill Clinton (que eram amigos de Epstein) e a sua filha, tendo até sido uma das convidadas do casamento desta, como se vê nesta fotografia.

https://twitter.com/GhostPanther/status/1147975821107159041?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1147975821107159041&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.thecut.com%2F2019%2F08%2Fghislaine-maxwell-jeffrey-epstein-alleged-madam.html

Ghislaine Maxwell é agora um dos nomes no centro da polémica que tinha Epstein como ator principal, ainda que tenha vindo a negar repetidamente todas as acusações que lhe são imputadas. Algumas das acusações já foram mesmo julgadas nos tribunais, mas Maxwell conseguiu sempre chegar a acordo. Alegadamente, foi depois da relação amorosa entre os dois que, na condição de amiga próxima, terá ajudado Jeffrey Epstein com as raparigas.

Pelo menos é essa a versão de várias jovens que acusam Ghislaine Maxwell de as recrutar para a rede de tráfico de Epstein. Desde 2015 que já vieram a público três acusações: uma em 2015, outra em 2017 e mais recentemente, em 2019.

Jeffrey Epstein queria engravidar dezenas de mulheres para “melhorar” o ADN humano

Ghislaine Maxwell dedicou também algum tempo da sua vida à proteção dos mares e oceanos, depois de em 2012 fundar o ‘The TerraMar Project’. Enquanto presidente da fundação teve oportunidade de falar nas Nações Unidas, em 2014, a propósito da necessidade de proteção e conservação dos oceanos.

Nas fotografias mais antigas, divulgadas por alguns utilizadores do Twitter, é possível ver Ghislaine Maxwell e Jeffrey Epstein lado a lado com Donald e Melania Trump.

A NBC também resgatou dos seus arquivos um vídeo de uma festa em que os dois se divertem comentando as cheerleaders de uma festa.

O vídeo de 1992 que mostra Trump e Epstein a divertirem-se com cheerleaders numa festa

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos