Começa hoje o mês da poupança, confira as melhores dicas e estratégias de poupança para pais, filhos e avós.

Estratégias de poupança para os pais

– Se ainda não tem, faça um orçamento familiar, que lhe permita ter noção das suas receitas e despesas mensais. Não é preciso nada muito complexo. Pode simplesmente começar por tomar notas num caderno ou numa folha de excel, definindo uma coluna para as receitas e outra para as despesas, mas se quiser algo mais elaborado existem programas e aplicações criadas para esta finalidade.

– Identifique as suas fontes de rendimento: as fixas (salários e rendas, por exemplo) e as variáveis (trabalhos de freelancer, prémios, bónus, rendimento de aplicações financeiras, por exemplo). Faça o mesmo para as despesas e distinga as essenciais (como os gastos com habitação – prestação do crédito ou renda, água, luz, gás –, alimentação, deslocações, educação e complementos de reforma) das supérfluas (restaurantes, cinema, viagens, presentes, etc.). Não tenha medo de ir ao pormenor, porque muitas vezes são os detalhes que fazem a diferença no final das contas.

– Planeie as suas atividades. O planeamento é fundamental para ter o seu orçamento familiar sob controlo em qualquer ocasião. Das coisas mais simples, como refeições e tempos livres, às mais complexas, como comprar casa, trocar de carro, ir de férias, planear atempadamente ajuda-o sempre a traçar uma estratégia para alcançar o seu objetivo de modo financeiramente sustentável.

– Não gaste além das suas possibilidades. Faça as somas e subtraia as suas despesas aos rendimentos. A equação é fácil de exemplificar: se o seu agregado familiar tem receitas mensais de 2.500 euros, não pode gastar 2.700 euros por mês. Pelo contrário, é recomendável que lhe sobre sempre uma parte do que ganhou para criar uma reserva de emergência para fazer face a algum imprevisto (desemprego, doença, etc).

– “Pague-se a si primeiro”. Esta expressão é muito conhecida no universo das finanças pessoais e remete para a importância de destinar uma parte do seu salário para a Poupança, logo que o recebe e antes de fazer outros pagamentos. Os especialistas apontam para cerca de 10% a 15% do rendimento mensal, em função da idade.

– Invista parte das suas poupanças. Os fundos de investimento mobiliário são uma boa solução para fazer crescer as suas economias e para salvaguardar o futuro. Se fizer um Plano de Poupança Reforma (PPR) — como o IMGA Poupança PPR e o IMGA Investimento PPR — não só estará a amealhar para não perder qualidade de vida quando chegar à idade de reforma como poderá usufruir de benefícios fiscais, já que os valores aplicados anualmente em PPR são dedutíveis até 20% no IRS, com limites em função da idade, e no momento do reembolso beneficiam de taxas de imposto mais reduzidas.

– Poupe na educação dos seus filhos. Tenha atenção às despesas dedutíveis no IRS, nomeadamente as prestações de serviços e aquisições de bens isentos de IVA ou tributados à taxa reduzida, de 6%. Lembre-se que tem de pedir sempre fatura com número de contribuinte.

– Confirme as suas faturas no e-fatura. Para beneficiar das deduções de IRS, não só na educação, mas também na saúde, habitação, oficinas, restauração e transportes (passes mensais), entre outros, lembre-se que tem de confirmar as faturas que vai pedindo e evite deixar para as vésperas da entrega da declaração anual do IRS, entre 1 de abril e 30 de junho. Se o for fazendo ao longo do ano, pode ir ficando com uma ideia de quanto vai ‘poupar’ no IRS.

– Economize nos Transportes e Deslocações. Pense nos transportes públicos como uma alternativa que o pode ajudar a cortar gastos, aproveitando o passe Navegante Família (municipal ou metropolitano). Se tiver que utilizar o carro, mantenha os pneus em bom estado, verificando regularmente a pressão, use o ar condicionado moderadamente e opte por uma condução defensiva, evitando acelerações bruscas e travagens repentinas. Quando for abastecer o depósito, tente beneficiar de descontos e promoções nos combustíveis, aproveitando cartões de cliente, cartões de pontos ou acordos com hipermercados, por exemplo.

Sugestões de poupança para os filhos

– Incuta nos mais novos a ideia de que devem viver de acordo com as suas possibilidades, apesar de todos os apelos ao consumismo e à importância atribuída aos produtos de marca, muito comum entre as faixas mais jovens. Transmita-lhes que ser ‘cool’ e feliz não é sinónimo de gastar muito dinheiro.

– Ensine-os a distinguir, desde cedo, as necessidades dos desejos e o essencial do supérfluo. Partilhe com os seus filhos que devem fazer sempre as compras com base no que realmente lhes faz falta, deixando para segundo plano o que é dispensável.

– Inspire os seus filhos a seguir a regra de guardar 10% de todo o dinheiro que recebem, quer sejam 5 ou 50 euros. O conhecido dito popular ‘chapa ganha, chapa gasta’ pode ser sinónimo de problemas muito difíceis de resolver um dia mais tarde.

– Ofereça um mealheiro. O conceito do mealheiro ajuda a alimentar a poupança e a estimular o gesto de poupar. Além de incentivar os seus filhos a irem enchendo o mealheiro, seja um exemplo e canalize também parte do dinheiro que lhe vai sobrando nos bolsos para o seu próprio mealheiro. Sempre que estiverem cheios ou quando houver ‘prendas’ em dinheiro, por ocasião do aniversário e do Natal, reforce a sua estratégia de investimento, mas sempre numa lógica de diversificação ou seja, sem ‘colocar todos os ovos no mesmo cesto’ de modo a assegurar um bom futuro para os seus filhos.

– Distribua uma semanada ou mesada com conta, peso e medida. A escolha depende do que achar que melhor se adequa às necessidades e perfil do seu filho, tendo em conta também a idade. Pode optar por uma semanada de início, para o seu filho aprender a gerir as próprias despesas num período mais curto. Depois, se correr bem, passe a atribuir uma mesada em cartão, mas com a indicação expressa de que não vale pedir dinheiro antes do final do mês e de que as despesas devem ser geridas de modo a que a mesada dure, pelo menos, até à data de receber a próxima.

– Partilhe a ideia de pouco dinheiro nos bolsos ou na carteira, já que se torna mais fácil gastar.  Por isso, uma boa estratégia para poupar é andar com pouco dinheiro para evitar tentações e gastos supérfluos.

– Se os seus filhos já têm telemóvel com acesso à Internet, sugira-lhes que aproveitem sempre que possível o wi-fi gratuito dos espaços que o disponibilizam, de modo a pouparem os dados móveis. Mas lembre-os que a ideia não é estarem sempre ‘agarrados’ ao telemóvel!

Dicas de poupança para os avós

– Poupar na luz e na água. Ajude toda a família a não esquecer gestos tão simples como: apagar as luzes quando se sai de uma divisão da casa, optar por lâmpadas economizadoras, evitar o modo ‘stand by’ e desligar os aparelhos eletrónicos da tomada quando não estão a ser utilizados, fechar a torneira quando lava os dentes ou toma banho e utilizar redutores de caudal nas torneiras.

– Dar preferência a marcas brancas nas idas ao supermercado. Muitas vezes têm os mesmos ingredientes, sabor e tabela nutricional idêntica, mas são mais ‘leves’ no preço. Um exercício que pode fazer é ir comparando os preços de produtos de marcas com os de marcas brancas para ficar com uma ideia da poupança final.

– Reduzir as despesas com telecomunicações. Desfruta de todos os canais de televisão que tem? E do pacote de internet? Faça uma avaliação do que realmente usa e ajuste os seus serviços de acordo com as suas reais necessidades, eliminando itens de que não beneficia. Esteja atento às ofertas das várias operadoras e procure usufruir dos tarifários mais baixos. Tenha atenção aos períodos de fidelização e dedique tempo a comparar o que existe no mercado.

– Férias e atividades amigas da sua carteira. Planeie com antecedência para conseguir as melhores promoções e confira as opções a seu gosto que lhe permitem menos gastos. Lembre-se que viagens de avião compradas com alguns meses de antecedência podem ficar muito mais baratas. Verifique também se usufrui de condições especiais no acesso a atividades culturais por conta de algum serviço do qual é cliente ou de descontos para reformados/acima dos 65 anos.

– Aposte no seu bem-estar. Agora que já criou os filhos e concluiu a sua vida profissional ou está próximo da idade de reforma, olhe mais por si e desfrute tranquilamente do dinheiro que, durante a sua vida ativa, conseguiu poupar e fazer crescer através das soluções de investimento e reforma da IMGA.

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/imga/