Os concelhos onde o PS obteve resultados mais altos — nomeadamente, Gavião (distrito de Portalegre), Santa Cruz da Graciosa (ilha da Graciosa) e Porto Santo (ilha do Porto Santo) — registam um poder de compra inferior à média nacional, um número mais elevado de escolas, mas escolaridade abaixo da média, segundo o portal de dados estatísticos EyeData disponível em www.lusa.pt.

Neste portal, os resultados eleitorais de cada partido são divididos em três, permitindo ver qual o terço dos concelhos em que cada partido obteve os melhores resultados, os piores resultados e o resultado médio. Depois, no mesmo portal é possível cruzar esses resultados com um vasto conjunto de variáveis económicas e sociais que permitem caracterizar, em termos médios, como são os concelhos onde os partidos tiveram melhores ou piores resultados.

Ambiente

Nos concelhos onde o PS obteve resultados mais altos, as despesas dos municípios em ambiente são inferiores à média nacional, representando menos de 7% do total da despesa municipal, contra quase 9% daquela que é a média dos 308 municípios do país. Já o consumo de energia elétrica por habitante é inferior à média nacional.

Os resíduos urbanos recolhidos por habitante totalizam 432 kg, inferiores aos 487 kg registados em média em todos os concelhos do país. Já a percentagem de resíduos urbanos preparados para valorização e reciclagem é superior nos concelhos onde o PS obteve votações mais altas (52,9%) face à média nacional (50,6%).

Demografia

A população estrangeira a residir legalmente nestes concelhos é inferior à média nacional, enquanto a população residente com menos de 15 anos é praticamente igual à média do país. Porém, há mais pessoas com 65 anos ou mais de idade face à média.

Já o número médio de filhos por mulher é de 1,37, ligeiramente inferior à média nacional, de 1,42. Os concelhos onde o PS obteve resultados elevados registam mais divórcios por 100 casamentos: 65,8 divórcios contra 64. Os nascimentos fora do casamento também revelam números ligeiramente mais altos face à média.

O saldo populacional migratório por 10 mil habitantes — ou seja, o peso do número de imigrantes e emigrantes na população residente — é muito inferior à média nacional (2,56 contra 11,2).

Economia e trabalho

O ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem nestes concelhos é de 950 euros, inferior ao valor médio registado no país, de 1.108 euros, e o poder de compra per capita é também mais baixo que a média nacional.

Os concelhos onde o PS registou uma votação alta têm mais trabalhadores da administração local do que a média do país. Por cada 1.000 habitantes há 13,21 funcionários das câmaras ou juntas de freguesia, enquanto a média nacional é de 11,62 funcionários por cada 1.000 habitantes.

As empresas do setor primário, onde se inclui a agricultura, a pesca e a pecuária, registam um peso significativo nestes concelhos. O volume de negócios das empresas não financeiras do setor primário é 36,2% superior à média nacional. Já as empresas do setor secundário e terciário (comércio e serviços) apresentam números inferiores à média do país.

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego nestes concelhos é praticamente igual à média registada no total de concelhos do país.

Educação

Apesar de o número de escolas ser mais elevado do que a média nacional nos concelhos onde o PS registou votações elevadas, a escolaridade é inferior à média do país, tanto na população residente em geral como nos empregadores em particular. A população com mais de 15 anos com pelo menos o ensino secundário representa menos de 25% do total, quando a média nacional é de 30,5%. A percentagem de empregadores nestes concelhos com pelo menos o secundário é de 42,5% abaixo dos 50% da média do país.

Por outro lado, os alunos por computador no ensino básico e secundário e o número de computadores com internet são inferiores à média nacional.

Sociedade

A percentagem de casamentos não católicos nos concelhos onde a votação no PS foi elevada é de 62,5% do total de casamentos registados, um valor inferior aos 67,71% de média nacional.

Os dados mostram ainda que o número de médicos por 1.000 habitantes é de 2,58, inferior à média nacional de 5,22 médicos. As unidades hospitalares (públicas e privadas) também estão aquém da média nacional, com perto de uma unidade por cada 100 mil habitantes, contra 2,2 de média no país.