O Governo sul-africano anunciou esta segunda-feira restrições no abastecimento de água devido à escassez nas barragens e à ausência de chuva, que deve continuar até dezembro.

A ministra da Água e do Saneamento da África do Sul, Lindiwe Sisulo, afirmou esta segunda-feira que várias zonas do país estão a enfrentar escassez de água, num momento em que o verão começa a atingir o hemisfério sul e que as alterações climáticas trazem dias mais quentes e secos.

De acordo com o Executivo sul-africano, o país é um dos 30 mais secos. No início de 2018, a Cidade do Cabo enfrentou a possibilidade de um “Dia Zero”, em que a maioria das torneiras foram cortadas devido a uma longa seca.

Segundo a ministra, mais de 60% do abastecimento de água é destinado à agricultura, sobrando apenas 27% para a população de um país com 58 milhões de pessoas. Sisulo acrescentou que as infraestruturas envelhecidas e a má gestão apresentam-se como um desafio para o Governo do Presidente, Cyril Ramaphosa.