A Câmara do Porto lançou esta quarta-feira o concurso público para a reabilitação de 18 “volumes” do bairro municipal São João de Deus, tendo fixado o valor base da empreitada em 1,48 milhões de euros.

Publicado quarta-feira em Diário da República, o procedimento a cargo empresa municipal de Habitação Domus Social fixa em 360 dias o prazo para a conclusão da empreitada de “Reabilitação do Bairro São João de Deus — Volumes 22 a 38 e H1”. As propostas para reabilitar estas 18 edificações na freguesia de Campanhã devem ser apresentadas no prazo de um mês.

De acordo com a página na Internet da Domus Social, o Bairro de São João de Deus foi construído em 1944. Inicialmente era constituído por 706 fogos, repartidos por 144 moradias e 28 blocos habitacionais. Presentemente existem 144 moradias unifamiliares distribuídas por três arruamentos.

A requalificação e reabilitação do bairro, cuja maioria dos blocos foi demolida no executivo de Rui Rio, iniciou-se em 2016, com a construção de 13 novas casas (sete T1, quatro T2 e dois T4), distribuídas por sete edifícios, num investimento superior a 529 mil euros, anunciava a autarquia em abril desse ano.

Na ocasião, o município revelou que a segunda fase do São João de Deus contemplava a reconversão dos 144 fogos existentes em 84 novas habitações. Esta transformação daria lugar a 13 casas de tipologia T1, quatro de tipologia T2, 24 casas de tipologia T3 e quatro casas T4, sendo que todas as habitações seriam dotadas de jardim/horta privada, num investimento de cerca de 4,3 milhões de euros.

Em abril de 2016, a autarquia liderada pelo independente Rui Moreira anunciou ainda uma intervenção no espaço público, cujo projeto previa a abertura de uma nova artéria, que permitiria um novo acesso às habitações construídas.