A Câmara de Santo Tirso foi alvo de uma ação inspetiva da Polícia Judiciária (PJ), a 26 de março, no âmbito dos processos de instalação de lojas interativas do turismo, confirmou esta quinta-feira à Lusa fonte da autarquia.

Detentora de uma Loja Interativa de Turismo no seu município, a autarquia do distrito do Porto foi visitada pela PJ que, no âmbito da ação inspetiva, “pediu documentação relativa aos contratos que foram facultados pela autarquia”, acrescentou a fonte.

A fonte afirmou desconhecer se na sequência da investigação “alguém tenha sido constituído arguido”.

A investigação sobre a instalação de lojas interativas de turismo (LIT) insere-se no âmbito da Operação Éter, mas o Ministério Público (MP) decidiu abrir um inquérito autónomo exclusivamente sobre aquela matéria.

Em causa a alegada “imposição”, por parte da TPNP, das empresas responsáveis pela instalação das lojas.

No dia 25 de outubro, o MP deduziu acusação contra 29 arguidos (21 pessoas individuais e oito entidades coletivas), incluindo o ex-presidente da TPNP, Melchior Moreira, que se encontra em prisão preventiva desde 18 de outubro de 2018.

Melchior Moreira foi detido a 18 de outubro de 2018 pela Polícia Judiciária e fez dia 25 um ano que aguarda julgamento em prisão preventiva.

O ex-presidente da TPNP está acusado de 38 crimes (12 de participação económica em negócio, três de peculato de uso, três de peculato, nove de abuso de poder, um de corrupção passiva, sete de falsificação de documento e três de recebimento indevido de vantagem).