O Bureau Político do MPLA, partido no poder em Angola, recomendou esta quinta-feira aos órgãos de defesa e segurança “medidas adequadas à manutenção da ordem pública e estabilidade social”, face aos assaltos registados nos últimos dias em Luanda.

O comunicado final da quarta reunião ordinária do Bureau Político do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), orientada esta quinta-feira pelo líder do partido, João Lourenço, analisou entre outros assuntos os casos de criminalidade registados nos últimos dias na capital angolana. Na nota, o Bureau Político apelou aos cidadãos para manterem “a calma e serenidade”.

Esta semana, a província de Luanda registou, em dias consecutivos, mais de um assalto diário, em zonas do centro da cidade, que resultaram na morte das vítimas, incluindo cidadãos estrangeiros, a maioria abordadas por indivíduos armados, à saída de bancos.

A reunião serviu ainda para analisar a proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2020, tendo as medidas de políticas governamentais previstas, que apontam para a trajetória de recessão económica, sido elogiadas. A situação da seca no sul do país constou também da agenda de trabalhos e na sequência foi apreciado o relatório global sobre a execução do Programa Emergencial.

Sobre esse assunto, o Bureau Político do MPLA reconheceu o esforço do executivo e a onda de solidariedade desenvolvida pela sociedade civil para minimizar os efeitos da calamidade nacional.

A nível interno, a reunião serviu para aprovar a indicação do antigo ministro das Finanças, nomeado governador da província do Namibe, para primeiro secretário do MPLA naquela região do país, bem como aprovou a agenda e programa de trabalho da II sessão ordinária do Comité Central do partido, a realizar-se na sexta-feira da próxima semana.