O novo modelo da marca italiana assume-se como uma evolução face aos anteriores GT da casa do Cavallino Rampante. O estilo sobe em elegância e desce em agressividade, mas os genes que transformam um Ferrari num monumento aos desportivos emocionantes e eficazes estão lá todos.

O vídeo agora divulgado visa colocar o Roma como uma alternativa a concorrentes como o Aston Martin DB11, em que o luxo e a potência andam de mão dada, elevando a apetência da marca criada por Enzo Ferrari junto de condutores que querem um desportivo refinado, minimamente confortável e mais fácil e agradável de conduzir. Uma evolução face aos GT anteriores, sempre com muita ênfase na performance pura e dura.

Filmado em Roma, o vídeo procura posicionar o modelo tão próximo dos homens como das mulheres, recorrendo ao tradicional piso irregular da capital italiana para mostrar – ou tentar – como o desportivo absorve as irregularidades melhor do que até aqui.

O habitáculo está em posição mais central, melhorando a distribuição de massas pelos dois eixos, com o motor V8 com 3,9 litros montado à frente, onde há espaço de sobra para montar um V12 quando os italianos acharem por bem.

Com 620 cv e a capacidade de atingir 320 km/h, depois de passar pelos 100 km/h ao fim de somente 3,4 segundos, ou pelos 200 km/h depois de apenas 9,3 segundos, o Ferrari Roma alinha pelos melhores GT do mercado, como aliás é habitual na marca de Maranello. E o facto de recorrer a dois turbocompressores garante que não só o condutor tem à sua disposição 760 Nm de binário, como dispõe de toda esta força à mínima pressão sobre o acelerador e desde os baixos regimes.