A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu 825 quilos de cocaína, com elevado grau de pureza, dissimulada no interior de caixas de bananas, no âmbito do combate ao tráfico de drogas por via marítima, anunciou esta quarta-feira fonte policial. Da operação não resultaram até ao momento detidos.

A droga “tinha como destino final vários países do continente europeu”, indica a PJ, em comunicado, que envolveu na operação meios da sua Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes e da Diretoria do Norte.

“Esta operação foi desencadeada na sequência de informação recebida de congénere estrangeira, no quadro da cooperação policial internacional”, ainda segundo a PJ, que remeteu a prestação de mais esclarecimentos para a tarde de quarta-feira, na sua sede, em Lisboa.

Cocaína era proveniente da Colômbia e seguia para o mercado europeu

Em conferência de imprensa esta quarta-feira em Lisboa, o responsável pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE), Artur Vaz, explicou que a droga foi apreendida “nos últimos dias” num armazém na zona do porto. A informação foi fornecida por uma entidade estrangeira, que não quis especificar, dado que as investigações prosseguem para apurar elementos envolvidos no tráfico.

Da operação não resultaram até ao momento detidos, tendo Artur Vaz adiantado que os proprietários do armazém onde a droga foi encontrada escondida em caixas de bananas não estarão implicados no tráfico, tendo a empresa sido usada pela rede para o transporte da cocaína por via marítima.

O responsável da Judiciária adiantou que a droga tem um elevado grau de pureza e destinava-se ao mercado europeu, onde, depois de cortada, valeria “muitos milhões de euros”. Por norma, nestes casos de apreensões de droga a PJ não divulga o valor monetário envolvido.

As investigações prosseguem com colaboração internacional para identificar a rede e eventuais responsáveis pelo tráfico.