Uma carta suspeita que seria destinada ao primeiro-ministro António Costa foi esta quinta-feira analisada após uma denúncia dos responsáveis da estação dos CTT — Correios de Portugal na Avenida Marechal Gomes da Costa, em Lisboa, avançou o Expresso. A operação no local terminou por volta das 17h10 e, “à partida, não será nada de real”, afirmou fonte da PSP à Lusa.

A estação foi evacuada pelas 12h30, devido à presença de “um objeto suspeito”, disse à Lusa fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP), tendo sido estabelecido “um perímetro de segurança no local” enquanto decorreram as operações com o Centro de Inativação de Explosivos e Segurança em Subsolo (CIEXSS), situação que se prolongou durante quatro horas.

O porta voz da direção nacional da PSP, em declarações ao mesmo jornal, revelou que, depois de analisada a carta, a equipa do Centro de Inativação de Engenhos Explosivos e Segurança concluiu que “não continha engenhos explosivos ou material químico”.

Além da intervenção da PSP, a Polícia Judiciária esteve no local a investigar a situação e a carta será analisada pelo Instituto Ricardo Jorge.

No âmbito do procedimento previsto nestas situações, a PSP ativou o apoio dos bombeiros, através do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, que estiveram no local desde cerca das 14h40.