Os membros e apoiantes do Livre receberam ao final da manhã um e-mail, a que o Observador teve acesso, que pretendia esclarecer o mistério em torno do sentido de voto do partido na votação na generalidade no Orçamento do Estado. De acordo com o e-mail, que explica também quais foram os elementos que estiveram reunidos na noite de quinta-feira, é “a pedido da deputada” que o sentido de voto será conhecido “apenas no momento da votação”.

O sentido de voto do Livre, apenas será conhecido no momento da votação, por pedido da deputada”

O e-mail destina-se a esclarecer os membros e apoiantes do partido, embora mantenha a dúvida sobre o voto do Livre até que Ferro Rodrigues conduza a votação no hemiciclo, esta tarde. Ali esclarece-se também que na reunião de quinta-feira estiveram presentes — além dos membros do Grupo de Contacto, que falaram aos jornalistas, e da deputada — “elementos da Assembleia e coordenadores dos Círculos Temáticos” com o objetivo de “avaliar as garantias prestadas pelo governo”.

Esta manhã, numa declaração aos jornalistas nos Passos Perdidos da AR, Joacine Katar Moreira continuou sem esclarecer qual será o sentido de voto do partido no final do debate na generalidade, mas deixou o aviso: “Numa altura igual a esta é indiferente ao Executivo o nosso posicionamento para que o Orçamento avance, mas isso não nos inibe minimamente de, independentemente de nesta fase na generalidade, termos determinado posicionamento e que este não se altere radicalmente até à ultima votação”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Katar Moreira avançou também algumas das conquistas que o partido alcançou nessas negociações: a equiparação das carreiras de investigação às de docência e o reforço da ação social para os estudantes universitários.

O Observador tentou, ao longo da manhã entrar em contacto com o gabinete da parlamentar, mas até ao momento não obteve qualquer resposta.