Hélder Pitta Grós, procurador-geral de Angola (PGR), confirmou em entrevista ao jornal Expresso que pode ser emitido um mandado de captura contra Isabel dos Santos. “A lei dá-nos essa faculdade, caso haja um processo-crime em curso”, explicou o magistrado. Também acrescentou: “Se no caso dela a lei permitir, nós utilizamos todos os meios que a lei nos permite.”

O mesmo magistrado assume que há uma investigação por branqueamento de capitais a correr contra a filha de José Eduardo dos Santos, que esse processo está numa fase decisiva e que a empresária ainda não foi ouvida porque saiu de Angola no dia em que foi notificada.

Pitta Grós confirma que Isabel dos Santos está a ser investigada pelo Ministério Público (MP) Angolano por causa “da sua atividade enquanto gestora da Sonangol” e que esse processo foi instaurado pela própria empresária — “Isabel dos Santos fez um requerimento no sentido de fazer-se um inquérito, não à atividade dela, mas à do seu sucessor na gestão da Sonangol [Carlos Saturnino], e à medida que fomos fazendo esse trabalho verificámos que afinal não era bem assim mas havia algumas questões relacionadas com ela que tinham matéria que podemos dizer criminal.”

Afirma ainda que estão em causa “delitos penais” relacionados com “má gestão, uma gestão danosa, uma gestão gravosa”. Vai mais além esclarecendo que estão em causa “situações de branqueamento de capitais”.

Em atualização…