A Audiencia Nacional, um tribunal central espanhol, abriu uma investigação à marca de joias e acessórios Tous, depois de uma denúncia feita pela Consujoya (Asociación de Consumidores y Usuarios de Joyería), uma associação de consumidores que terá detetado peças produzidas com recurso a um material não metálico e vendidas como sendo feitas com ouro de 18 e 24 quilates e com prata de primeira lei, segundo noticia hoje o jornal El Mundo.

No fundo, existe a suspeita de que a marca catalã pode estar a vender joias com uma qualidade inferior àquela que anuncia. O processo está no início e serão interrogados, já esta quarta-feira, um representante da empresa bem como um representante do laboratório responsável por atestar a qualidade das joias, o Applus.

© Cristina Arias/Cover/Getty Images

A denúncia em causa chegou à Guarda Civil de Córdova ainda em 2018, tendo chegado depois à Audiencia Nacional, já que, a comprovar-se, o crime terá uma escala nacional. Na base da acusação estão análises feitas em dois laboratórios, entre eles o da Universidade de Córdova, a peças supostamente compostas por ouro de 18 e 24 quilates e prata de primeira lei, mas nas quais terá sido encontrado um material não metálico. Um processo que, segundo a associação em causa, não é permitida por lei.

As peças em questão foram compradas em cidades diferentes e também online, e incluíam o icónico urso da marca. A Guardia Civil repetiu os testes químicos, tendo chegado às mesmas conclusões. A confirmação fez com que a Fiscalía, Ministério Público de Espanha, fizesse a denúncia em dezembro do ano passado.

A provar-se a tese da acusação, a Tous incorre assim nos crimes de publicidade enganosa, falsificação de documentos, fraude e corrupção no setor privado. Fontes da investigação afirmaram ao El Mundo que a regulamentação do setor permite que outros materiais sejam usados nas joias, porém apenas em certos casos e informando sempre o cliente.

Brincos Tous em ouro amarelo de 24 quilates. Custam 229 euros

À agência noticiosa espanhola, a Tous rejeitou as acusações, reforçando o facto de todas as suas joias de ouro e prata “serem sempre de primeira lei”, garantindo que cumpre todos os parâmetros internacionais de certificação de metais preciosos. A marca esclareceu ainda usar as tecnologias de microfusão e de electroforming. No caso do segundo procedimento, admitiu que “a joia poderá incorporar núcleos não metálicos que ajudem a conferir estabilidade à peça, mantendo-se sempre a primeira lei”. A tecnologia usada, bem como as características dos metais preciosos constam, segundo a marca, dos certificados de garantia e autenticidade das peças.

Atualmente, a Tous está presente em mais de 50 países e conta com 700 lojas em todo o mundo. Em Portugal, são mais de 30 os pontos de venda. Em 2018, os lucros líquidos consolidados da empresa chegaram aos 27,3 milhões de euros, um aumento de 120% face ao resultado no ano anterior.