A Farfetch, a primeira startup com ADN português a tornar-se num unicórnio (empresa com uma avaliação superior a mil milhões de dólares), angariou mais 250 milhões de dólares (cerca de 226,7 milhões de euros) de investimento. O grupo tecnológico chinês Tencent e o fundo de investimento norte-americano Dragonner são ambos responsáveis pela aposta na empresa, tendo entrado cada um com 125 milhões de doláres.

Estou satisfeito por ter a Tencent e a Dragoneer como parte da base de investidores da Farfetch. A profunda experiência em tecnologia da Tencent e o relacionamento contínuo com a Farfetch, combinados com a experiência da Dragoneer em apoiar empresas de tecnologia orientadas para o crescimento, tornam os dois investidores parceiros excelentes para apoiar o próximo capítulo de crescimento da Farfetch”, diz José Neves em comunicado.

O montante angariado vai reforçar a posição líquida da empresa que, no final de dezembro de 2019, tinha aproximadamente 320 milhões de dólares (cerca de 290 milhões de euros) em caixa. Em comunicado, a startup liderada pelo português José Neves afirma que vai trabalhar de forma mais próxima com estes investidores e que este valor vai “elevar” a relação que já existe entre as empresas.

O montante foi angariado através de obrigações de dívidas emitidas pela Farfetch com uma taxa de juro de 5% ao ano que serão pagos trimestralmente todos os anos até 2025.

Fundada em 2007 e com sede em Londres, a Farfetch é a plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo. Segundo o investidor chinês, a Farfetch já está a ajudar as “marcas de luxo do ocidente a chegar aos consumidores chineses através do WeChat [concorrente do WhatsApp], detido pela Tencent”.